Translate

quarta-feira, 20 de julho de 2016

Talvez

Talvez, no final, não importam os risos. Importa quantas vezes você quis chorar. 
Talvez, importe, inclusive, que nem chorar você quer mais. 
Talvez, importe que não tem mais importância.
Talvez, não ter mais importância importe e não sei como me comportar.
Talvez, eu não devesse me comportar e sim me importar.
Talvez, no final, não deveria ter final.
Talvez, se se pensa em final, não deveria nem ter começado.
Talvez, o que parecia certo era errado.
Talvez, o erro seja querer que tudo dê certo.
Talvez... Talvez... Talvez...

quarta-feira, 4 de maio de 2016

Já sabia

Eventualmente,  as pessoas irão te decepcionar. E, acreditar que isso é uma mentira é a melhor forma de concretizar essa verdade.

Eu já passei muito tempo esperando mudanças de quem amava ser como era. Esperando que a vida ensinasse que é preciso aprender a ter pelo que se lutar. Mas, não. Quem aprendeu fui eu.

Aprendi a lutar pelo que acredito, pelo que sonho e pelo que sou. No final, aprendi a ser um novo alguém.

Acreditei que podia ser feliz brincando.  E, brincando me tornei séria e cheia de responsabilidades que não queria ter. Fui além do que queria, mas isso só significa que ultrapassei o que quero.

Talvez, eu só precise pisar no freio, engatar à ré, mudar a rota para a inicial,  e seguir em frente. Nada no mundo paga a sua paz!

domingo, 20 de março de 2016

Um novo filme da mesma história!