Translate

quarta-feira, 16 de setembro de 2015

Ponto de chegada

Cansado de andar, parou.
E, por ter parado, olhou ao redor e viu o porquê tanto se cansou.

Depois de muito caminhar, o ponto de partida não estava ao longe. Para falar a verdade,  ele estava bem ali, o tempo todo.

Andou-se muito, moveu-se pouco! E o paradoxo foi desfeito ao se encontrar a realidade.

Caminhar, caminhar.
Seguir,  andar.
Caminhar, caminhar sem se chegar a algum lugar.

Como é difícil admitir que o ponto de parada é o mesmo que o da partida!

Que, por mais que se correu, nenhuma paisagem nova foi vista.

Ah, as pernas!  Como doem!
Como dói olhar pra trás e enxergar o mesmo lugar em que se está.

O começo era pra ser um lugar de visita e não um ponto a se estacionar. Ah, caminhar! Como cansa o caminhar!
Mas, não há nada que possa ser feito além de continuar.

Continuar...
Continuar...

Continuar pra onde? Para qual lugar?
A cada passo que se caminha parece que não se consegue avançar.

Pés cansados! Mente cansada! Corpo cansado!

Todos dizem: "você precisa relaxar".
O que ninguém entende é que quem descansa não pode andar.

Mas, um dia, cansado de andar, parou.
E, quando parou... Viveu!

Elisa Macedo

quinta-feira, 3 de setembro de 2015

Tecnologia, eu quero uma pra viver

É impressão minha, ou até ajudar no mundo de hoje é uma tarefa difícil?

Você fala:

"Não faça A. A vai dar errado".

A pessoa entende:

"Ok. Não faço A. Vou fazer o Z então".

E pula todas as outras letras do alfabeto.

Ou você diz:

"Não vamos tomar tal atitude. Isso irá nos fazer brigar no futuro".

Ai vocês acabam brigando no presente.


Sério mesmo, fico vendo esse tipo de situação e minha cabeça acaba se perdendo cada vez mais.


Realmente, no mundo de hoje está complicado se comunicar! Por mais que a tecnologia venha criar meios para facilitar esta questão, o problema atual não é mais o meio, mas as pessoas. Nota: Já estava caçando um motivo para postar esta foto. Vou usar essa publicação de desculpa, já que faço parte do movimento "não às indiretas pelo Facebook" há alguns anos. Então, posto aqui e envio o link para quem precisa ler, ou pelo menos para uma das pessoas. 

Elisa Macedo.

terça-feira, 1 de setembro de 2015

O Tubo de Ensaio

Já fazia um tempo que eu estava procurando um tubo de ensaio que eu tinha. Ai você me pergunta: pra quê? Então, é simples, eu escrevi uma lista de 100 objetivos para minha vida, quando eu tinha apenas 13 anos e coloquei nele, para não estragar (como se fossem se passar séculos).

Há pouquíssimo tempo eu me lembrei desse episódio e comecei a revirar minhas caixas cheias de papeis, agendas e textos antigos que eu fiz. Nada! Não consegui achar. Mas, de uma coisa eu tinha certeza, pro lixo o meu tubinho não tinha ido.

Primeiro, porque aqui em casa o pessoal não gosta de jogar coisas estranhas fora até mostrar pra todo mundo. Segundo, porque eu sabia que eu tinha colocado em algum lugar difícil pra eu não perder e também que não fosse de tão fácil acesso para eu não ficar olhando todo o dia, mas só abrir depois de alguns anos para conferir se eu tinha conseguido alguma coisa que tinha escrito ali.

Pois bem. A boa notícia veio no mês passado, quando a dona Liane Macedo estava faxinando o quarto dela e mexendo nas caixas. Ela encontrou meu tubo, deu aquele grito de "que coisa estranha é essa aqui, gente?" e eu fui correndo, pois sabia que só podia ser coisa minha. Cheguei lá, estava meu tubo com minha folha da moranguinho amassada dentro, pra caber direitinho. Meu coração pulou na hora!

Abri o frasquinho, mas levei quase que uma vida pra tirar o papel lá de dentro. Estava tudo tão comprimido, que vou te falar! Enfim, quando consegui retirar minha lista, levei um susto!

Eu era tão nova pra ter sonhos tão audaciosos! E, além disso, descobri  que muitos dos meus sonhos ainda são os mesmos de literais 10 anos atrás.

Fiquei tão feliz por ter conquistado muita coisa da listinha, como fazer um intercâmbio, patinar, fazer faculdade de comunicação, viajar com meus amigos... Sério, muitas coisas! Algumas delas até estranhas, mas que fazem parte da minha personalidade, como pintar o cabelo de vermelho, jogar dinheiro na cama e deitar em cima... Coisas minhas!


O mais bacana de tudo é ver que incluí tantas pessoas nos meus projetos, minha família, meus amigos e até mesmo pessoas que eu nem conheço ainda. Lamentei não me lembrar quem é Afonso que eu desejava conhecer... (ops, acho que já sei quem é ;p).

Criança tem sonhos que podem parecer engraçados, como o meu tópico número 1 que era mudar de escola. Coisa simples, mas que antes era parte significativa do meu mundo. Quando leio objetivos mais abrangentes, parece que eu estou aprendendo comigo mesma. A Elisa do passado, dando aulas para a Elisa do presente. Me lembrando o egoísmo é uma característica que eu nunca quis ter.

Estou feliz por ter encontrado esta listinha. Irei dar uma atualizada nela e guardar de novo. Espero abri-la de outra vez daqui a 10 ou 20 anos e ter uma sensação tão boa quanto a que tive dessa vez.

Sei que apesar de não ter concluído todas as minhas metas, algumas pela idade, outras porque a vida me colocou em uma situação que eu só poderia escolher uma de duas (como ter uma festa de 15 anos e ter um computador. Eu escolhi o computador, claro),o importante é que eu sei que me esforcei e, ter alcançado algo já é muito grande para alguém que tinha apenas 13 anos e já ousava sonhar, mesmo com as poucas perspectivas aos olhos humanos.

Pois é. Deus já estava lá nos meus projetos, mas na próxima lista vou colocá-lo numa posição maior e não deixar "trocar de escola" ser meu objetivo número 1.

Acho que dessa vez eu vá precisar de mais do que apenas um tubo de ensaio, preciso ser mais específica com algumas coisas. Bom, mãos à obra! Ora de planejar para alcançar.

Nota: Cheguei a colocar esta postagem como rascunho, Mas, ah, quer saber? José compartilhou os sonhos dele, não foi? Então, oremos!

Elisa Macedo, 02 de setembro 2015, com sentimentos mistos de 2005.