Translate

terça-feira, 17 de fevereiro de 2015

Tem dias que...

Eu vejo aquela rua cheia de discos de vinil. Com capas tão aleatoriamente colocadas no chão, sem que quem as colocou tomasse consciência do quão valioso é o conteúdo que essas capas guardam e meu coração aperta se lembrando dia em que um daqueles discos foi meu.

Músicas antigas que foram trilha de grandes amores, grandes eventos, grandes histórias e grandes aventuras.

Uma capa laranja no chão, que a maioria ignoraria ao ver uma figura enlouquecida estampada bem ali no papelão. A maioria, mas não todos!

Alguém viu. Alguém viu que alguém viu. E, tem dias que eu desejo não ter me desfeito de todos os fragmentos de um passado que existiu, por mais difícil que seja lembrar.

 Tem dias que eu imagino que tudo poderia ser mais fácil, se os caminhos tomados tivessem sido outros e a maturidade de agora fosse presente no passado lembrado.

Mas, a vida é feita da junção de todos os dias e das recordações de todas as histórias, inclusive as do presente.

Porém, tem dias que eu queria poder escolher apenas um dia para vivê-lo novamente com todo o conhecimento que tenho hoje, sem ficar pensando que cada coisa tem o seu tempo.

E cada coisa tem o seu próprio tempo! Agora é e já passou o tempo de se esquecer daquela rua fresca, com aqueles discos das capas tão aleatoriamente colocadas no chão.

Tem dias que eu só queria que nada tivesse acontecido. Outros, que queria que tudo acontecesse de novo.

Hoje, eu só quero que o dia termine bem e pelo amanhecer minhas memórias voltem para onde estavam: no esquecimento!

sexta-feira, 13 de fevereiro de 2015

O Deus de hoje

Estava conversando com minha amiga sobre algumas histórias minhas do passado. Conversa vai, conversa vem, cheguei à uma conclusão: "Deus é um Deus preocupado com o hoje".

Imagem da rede
Por que eu digo isso? Simples, porque se Deus ficar pensando nos nossos pecados de ontem, não vai conseguir nem olhar pra gente hoje. Se for trazer para o presente os pecados que cometeremos amanhã, não vai estender suas mãos agora para nos abençoar. Resumindo: "para cada dia o seu próprio mal".

Sendo assim, imagino que quando Ele diz isso, talvez Ele esteja dizendo de si mesmo.  Que a cada dia Ele nos observa, julga, corrige, analisa, trabalha, etc pelos efeitos de cada dia em particular. Claro que, em algum momento, haverá um grande pacote que nossos dias serão colocados juntos e serão apresentados novamente diante Dele... Mas, para esta vida terrena, repito: um dia de cada vez.

No Salmo 90, versículo 12, o autor pede para o Senhor nos ensinar a contar os nossos dias para alcançarmos corações verdadeiramente sábios. Este é um pedido inteligentemente sábio!

Imagem da rede
Se eu sei viver o dia de hoje com paciência, tranquilidade e sabedoria, não irei ficar ansioso pelo futuro e nem remoendo o que ficou no passado e, provavelmente, viverei muito melhor.

Se "o que temos para hoje é saudade", como diria uma música por ai, pois, saudades sentiremos! Se temos amor, amor teremos! Se temos dinheiro, dinheiro  teremos! Se temos dor, dor teremos! Se temos tudo, tudo teremos! Se temos nada, ora, nada teremos! E vamos seguindo a vida, por que o hoje é apenas mais um dia e logo será amanhã. Já dizia o sábio Douglas: paciência!

Afinal de contas, quem pode acrescentar uma hora a mais de vida para si mesmo, ou colocar um palmo a mais no seu tamanho por mais ansioso que esteja? Ninguém.

No final das contas, para crédulos e incrédulos esta é uma grande verdade: Deus é o Senhor do tempo e não há nada que possamos fazer para pará-lo, fazê-lo voltar atrás, ou adiantá-lo. Cabe a nós vivermos um dia após o outro sem nos desfalecermos pensando que não temos mais nada de bom para viver como tínhamos no passado, ou como queríamos ter no futuro, ou mesmo que o presente maravilhoso um dia irá acabar.

Imagem da rede
O que precisamos é manter no coração é a esperança de que, por mais gostoso que ontem tenha sido, o hoje seja e aguardamos o amanhã, o melhor ainda está por vir.

Os astros brilham todos os dias e nem por isso deixarão de brilhar amanhã. Sempre há um novo nascer do sol.

Esperemos, pois.



Elisa Macedo.