Translate

terça-feira, 19 de agosto de 2014

... Há mais de uma semana...

Descobri que sou alguém fraca.
A vida é má quando ela quer. E pessoas como eu sentem muito mais a maldade da vida do que quaisquer outros tipos de pessoas.
Não sei perder. Não sei superar. Não sei acordar e me dar conta de que minha realidade foi mudada contra minha vontade. Mas, a vida é assim.
Hora de criar forças para continuar.

Novas descobertas, novas histórias. Um novo começo, mesmo a contra gosto.

Boa noite, que Jesus me abençoe.

Elisa Macedo.

sábado, 2 de agosto de 2014

Minha juventude





Uma coisa que eu acho interessante sobre mim mesma, é que um dia eu poderei me sentar com meus filhos e netos, e até mesmo com amigos quando mais velhos, e poderei contar as coisas que não fiz nas oportunidades que tive e as que fiz nas oportunidades que não tive.
Pelo menos até agora, eu posso dizer que é possível viver uma juventude saudável. Aventureira, feliz, bagunceira, sóbria e intensa.
Tenho experimentado, provado e repetido desses pratos saborosos, que só o tempero da idade nos faz degustar cada sensação que a idade do regozijo pode nos proporcionar. É uma fase boa; muito boa, por sinal!
Acho que eu cheguei em um ponto estável da minha vida que eu realmente não lamento o que não tive, ou o que não tenho. Mas, estou plenamente satisfeita com o que alcancei e muito contente pela perspectiva do que está por vir.
São anos bem felizes!
São dias de sair de casa no horário que estava acostumada a voltar. Tomar banho de chuva na moto de um amigo, no meio da madrugada. Andar cantando pelas ruas feito bêbados, sem uma gota de álcool no sangue. Dias de semear, cultivar e colher as boas amizades. Amizades presentes para um piquenique no parque, uma viagem não programada no meio da semana, para um lanche clichê no feriado e para um cinema quando as opções são poucas.
Tempo de aproveitar. Aproveitar mesmo! Não perder tempo com lamentações de memórias do passado, ou ansiedades de um provável futuro. Porém de saber degustar o sabor de uma fruta suculenta e deliciosa chamada hoje.

Só tenho a agradecer a Deus.
Obrigada, Senhor.

Elisa Macedo.