Translate

quarta-feira, 29 de janeiro de 2014

Outra Vez

Elisa Macedo
Deixe-me sonhar outra vez.
Eu sei que é pedir muito, eu sei que é querer de mais. Eu sei que estou desejando mais do que eu poderia, deveria, ou mesmo queria, mas, por favor, deixe-me sonhar mais uma vez.
Deixe eu acreditar que o inverno continuará sendo uma estação alegre, incoerente para a maioria das pessoas, totalmente compreensivo para mim. Deixe-me, deixe-me olhar pela janela e ver que mesmo sem os pássaros voarem lá fora, aqui dentro eles cantam uma linda canção.
É só um pedido. É quase uma oração.
Deixe-me apreciar e ter tempo para ver algumas coisas mais... Para sonhar um pouco mais, para ter tempo de viver mais um sonho.
E, quando mais um sonho eu realizar, eu sei que mesmo sabendo que estarei pedindo muito, querendo de mais, desejando mais do que eu poderei, deverei, ou quererei, irei pedir por favor, deixe-me sonhar outra vez.

Elisa Macedo

terça-feira, 21 de janeiro de 2014

Pieces of me

Em cada lugar que eu vou, deixo um pedaço de mim. A cada pessoa que me deixa, leva com ela outra parte de mim. E de partes em partes deixadas, vou me completando a cada dia.
Não estou dizendo que não doí, estou apenas dizendo que mesmo com esse sentimento, tudo é válido.
E que eu deixe mais pedaços de mim everywhere!

Boa noite, Jesus Cristo os abençoe,

Elisa Macedo, da Hungria

sexta-feira, 17 de janeiro de 2014

"Goodbyes"

I don't know how to say goodbye.
When I have to say, I just don't do it.
So, it is not a goodbye also.
video
It is a gift, for my friend: Mine, Akkiz, Busra and Deniz.

3 Coisas sobre você que estão no Facebook e eu não preciso saber

Nos últimos dias tenho tido tempo de sobra para ficar no Facebook. O que para alguns da minha geração é um sonho, para mim é um pesadelo.
Há uns quatro anos, quando criei minha conta, eu fazia de tudo para evitar postar fotos e coisas que estivessem intimamente ligadas ao que eu estava fazendo. Eu fazia isso porque como já tive problemas na rede por causa da "entrega" que fazemos achando que não estamos, só porque está no meio virtual e não no físico e material, queria evitar a repetição de algo do tipo, e confesso que essa foi uma luta meio que inútil.
Uma vez a conta criada, você abre a porta e convida os demais para entrarem na sua realidade e, porque não dizer intimidade.
Depois desse passo fracassado, tentei moderar minha conta postando apenas aquilo que eu achava legal, ideias e textos, como eu costumava fazer aqui no blog. Acontece que tudo no Facebook vira polêmica e as pessoas sempre tomam textos genéricos como algo que fosse uma ofensa muito pessoal, como se aquele "qualquer um" tivesse escrito o texto especificamente para si. Enfim, foi um momento turbulento da minha conta.
Aprendi, então, que o Facebook nada mais é do que uma Rede Social com intuito PRIMÁRIO de compartilhamento de fotos e interação entre as pessoas. É como se fosse aquele álbum de família que você tira fotos e depois de cinquenta anos quer mostrar para todo mundo. Na verdade, na verdade, ele nada mais é do que esse álbum disponibilizado para um público muito maior e que pode te falar (ou não) o que achou da sua foto.
Comecei a usar meu Face para postar fotos que eu achava interessante para compartilhar com meus amigos. Fotos de momentos legais, situações inesquecíveis e, principalmente, nas quais eles estavam comigo. Vi que eu estava ficando muito snob.
Dei um surto e sai deletando tudo, postagens, fotos, comentários na linha do tempo, coloquei moderação nos conteúdos a serem exibidos, fiz tudo isso. No fim das contas, percebi que além de me roubar muito tempo, o Facebook com sua mão invisível, administrada por milhares de olhos e dedos conhecidos do outro lado estavam mandando e desmandando na minha vida. Sabe o que eu pensei?
"Que se dane essa porcaria!".
Voltei a "moderar" meu Face com um pouquinho mais de mente aberta do que sair deletando tudo. Resolvi então deletar todos.
Vi que a moda dos usuários do Facebook agora é postar fotos sensuais. Vai me desculpar, não sou obrigada!
Com tantos atores, pessoas famosas e bonitas, auxiliadas por outras pessoas que entendem de Photoshop disponibilizam fotos maravilhosas de suas figuras na rede, não vou ficar perdendo tempo com gente que está passando por uma crise de identidade e auto aceitação que começou a postar fotos suas peladas no Facebook.
Já que o problema eram os "moderadores", comecei a cortá-los.
Preciso deixar claro aqui que não estou falando do pessoal que foi pra praia com a família no fim de semana, ou de quem está "naquela" cachoeira com os amigos, ou mesmo sozinho, mas é "aquela" cachoeira. Uma foto que tenha sentido e seja mais do que um "olha meu corpo e me possua".
São meninos e meninas que estão apelando mesmo. Semana passada na minha linha do tempo apareceu a foto de um cidadão sem cueca, tampando o seu mini-instrumento com os 5 outros dedos que possuía. Fala sério! Eu não preciso disso.
Alguns podem me achar exagerada, sempre tomando posições radicais. Mas, assim como eles bem dizem "o Facebook é meu e eu posto o que eu quiser", eu respondo "o Facebook é meu e eu aceito e deleto quem eu quiser, e passar bem".
Não é de hoje que tenho visto coisas extramente sem noção no Facebook. Ele conseguiu superar a futilidade do Twitter, que aprendi a usar para "extravasar" virtualmente as mazelas do Facebook. Deixo então uma pequena lista de coisas sobre o que as pessoas postam no Facebook e eu sinceramente não preciso saber.

3 COISAS QUE ESTÃO NO FACEBOOK E EU NÃO PRECISO SABER

1- QUE VOCÊ ESTÁ DE TPM.
Minha filha, se você está ou não de TPM, isso é um problema total e inteiramente seu. Ninguém precisa ficar sabendo do seu ciclo menstrual pela internet. Obrigada!

2- QUE VOCÊ ESTÁ TERMINANDO O NAMORO.
Não estou falando do pessoal que muda status do Facebook. Estou falando da pancada de gente que começou a terminar namoro pela linha do tempo. Creiam, isso aconteceu! Teve um que ainda postou o nome das pessoas envolvidas no término, foi muito divertido ler aquilo, mas eu poderia viver sem essa informação.

3- CONHECER O SEU CORPO NU.
Pessoas que vão para frente do espelho tirar foto de calcinha e sutiã, ou meninos que tiram a camisa para mostrar o quanto os músculos cresceram. Sem falar nas meninas que postam foto da bunda, sério, da bunda  ou dos peitos tampados por uma linha de pano. Estou passando, mais uma vez, obrigada!

Foi ótimo terem inventado esse negócio de "não quero ver isso", mas existem pessoas que estão me fazendo usar isso com tanta frequência, que preferi não vê-las nunca mais na minha linha do tempo.
Amados, não vou entrar no mérito das fotos de comida, do marcar lugares, do postar frases sem sentido, por que até eu já me rendi a essas coisas com a compreensão de que isso é algo geracional. Nossa geração é assim: virtualizada e quer falar, ainda que ninguém os ouça, ou que a voz deles (nossas) sejam apenas um grande eco no vazio. Mas, a questão aqui é da intimidade de coisas que só você e seu banheiro precisam saber.
Não sou contra as publicações particulares que desejamos compartilhar, afinal eu tenho esse blog que nada mais é do que um diário virtual. Mas, entra aqui e lê quem quer e só quem quer.
Não estou falando que sou a rainha da moderação no Facebook. Bem provável que o meu tenha mais do que informações íntimas sobre mim, afinal, aquilo ali é uma extensão da vida (por mais que neguemos), mas, enquanto eu puder deixar a pandora na caixa, lá ela ficará.
Desculpe se chateei alguns, mas, o que posso fazer: o blog é meu e eu posto o que eu quiser.

Elisa Macedo

quinta-feira, 16 de janeiro de 2014

Morar com meninos

 Inesperadamente, é uma maravilha!
Pensei que os meninos fossem bagunceiros, brigões iguais aos vikings, mas até que não.
Eles são um bocado bagunceiros e pensam que sabem limpar, isso é um pouco verdade. Porém, comprado ao imaginário que eu tinha dessas criaturas morando juntas em um mesmo ambiente... Poxa, são super organizados!
Mas, a melhor parte é que eles não se importam.
Dando faxina descabeladamente
Não se importam com o barulho (quando ele não é às 4:05 da manhã), não se importam com o silêncio, não se importam com a limpeza, não se importam com a bagunça, afinal eles sabem que uma hora ou outra tudo vai se solucionar mesmo. É uma paz! Não tem fofocas, não tem intrigas e não é preciso dar atenção para eles toda vez que se encontra com eles na cozinha, no corredor, ou na sala.
Se você acorda de manhã com a cara amassada e não quer dar bom dia para ninguém, eles falam bom dia e, se você não responde com palavras, dá só aquele olhar de "bom dia também, mas não agora", eles simplesmente ignoram e bola pra frente. Sem justificativas, sem perguntar se aconteceu alguma coisa, sem fazer de qualquer suspiro ou espirro um grande negócio.
Eles perguntam só uma vez:
- Lis, quer remédio?
-Lis, vamos lá?
- Lis, está com fome?
Então, não tem tempo pra frescura do tipo "não sei". Ou está, ou não está. Ou quer, ou não quer. E, se quer, ou não, tudo bem.
Ninguém pode negar, eles sabem dar boas festas.
Bicho Inside
Ontem, por exemplo, foi aniversário do Felipe Menezes e ele estragou a própria surpresa só aparecendo na hora errada de tudo, o que não deixou de ser grande negócio, ele aproveitou do mesmo jeito. Comida boa, bons convidados. A é, a propósito dos convidados, homens só convidam quem eles querem sem se preocupar com o que os outros vão pensar, ou se "fulana vai ficar chateada".
Entretanto, não pense que eles são uns "nem aí" da vida pelo que eu estou escrevendo aqui. Quando eles param para conversar, são todo ouvidos e quando resolvem abrir a boca... Sai de baixo! É piro que sermão de mãe.
As piadas são sempre ótimas, até o que não era pra ser piada vira e ninguém sai dodói com nada. Viado é apelido carinhoso para chamar um companheiro e, quando eles falam "para de frescura", é para parar mesmo.
Aniversário do Felipe
Mas, ainda que as atitudes sejam de quem não se importa com nada, se é dia ou se é noite, se chove ou se faz sol, meninos são muito observadores.
Acho que eles se encaixam naquela frase que eu parafraseei "o que eu falo é uma gota, o que conheço, um oceano". #truestory
Para morar com meninos não é preciso grande negócio, basta apenas seguir o fluxo e viver tranquilamente. Para se ter noção, estou até emagrecendo. Eles custam ter fome, mas quando têm é daquelas de fazer prato de pedreiros. Como eu tenho fome sazonalmente, ou quando alguém perto de mim a tem, fica fácil e tudo simples.
Eles têm costume de guardar objetos estranhos, criar bichos esquisitos, mas ligo o "ignore"(porque eles também fazem coisas "not cool", principalmente os barulhos de um em particular [ainda te bato]).  Liguei o "ignore" tão bem ligado que há mais de uma semana eu estou por aqui  e só hoje que fui me dar conta do "animalzinho carinhoso" que eles têm na sala. Fala sério! Bom, bola pra frente.
Mesa mais portuguesa que estive :P
Já ia me esquecendo: facilite as coisas. Ande normalmente dentro de casa (não penteie os cabelos e não fique toda "chicosa"), não haverá problema algum durante todo o período. Mas, seja sempre legal. Gente chata eles ignoram na tora!
Tenho certeza que Deus me abençoou muito nesse intercâmbio, principalmente com relação aos "mates", porque tanto a Marta polonesa, quanto os "boys" brasinish (Brasil + Espanha) foram ótimas companhias nesse momento Europa da minha vida.
Não sei se o que eu escrevi vale para todos, mas já é uma referência a se tomar na hora de fazer uma generalização.

Beijos e abraços, que Jesus Cristo os abençoe,

Nota: Para os que estão em dúvidas sobre o porque não estou mais postando os dias, é porque minhas aulas acabaram. O diário era mais sobre minha vida no exterior ligado ao âmbito acadêmico, ainda que muita coisa que eu postei nesse período não tenha ligação direta com as aulas. Digamos que foi meio que um "relatório de intercâmbio". Mas, continuo na Europa, por poucos dias, mas estou aqui ainda. ;)

Elisa Macedo, de Portugal.






quarta-feira, 15 de janeiro de 2014

Grito

Dá uma vontade de gritar!
Uma vontade de ir lá fora, ver o céu Algarviano com sua lua mais que perfeitamente cheia, olhar ao redor através da luz irradiada por ela e gritar.
Uma vontade grande, grande e louca. Grande, louca e nervosa. Grande, louca, nervosa e forte. Grande, louca nervosa, forte e irresistível vontade de gritar.
(Ahhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhh).
Ainda levo jeito pra esse negócio de ser criança
Ouvir do outro lado um eco mudo que minha interpretação zombada pelo meu inconsciente traz como a resposta:
-Aqui.
Mas, não está.
Não há mais aqui. Não há mais lá. Não há mais em nenhum lugar.
Só o silêncio e o vazio do que ficou deixado para trás e não irá mais voltar.
Não irá mais voltar. Não irá.
E as emoções que hoje são fortes, ontem foram repelidas. Estranhas circunstâncias da vida que não nos deixa saborear o presente com o sabor da pizza de hoje no amanhã.
Passou a vontade de gritar.

Elisa Macedo.

quinta-feira, 9 de janeiro de 2014

Move on


Foto: Elisa Macedo
Não é que você vai sempre buscar sobrepor uma experiência com a outra, mas as experiências por si só irão sobressair as que ficaram no passado, afinal, uma coisa é certa: "o que passou, passou".
Novos caminhos para trilhar mostram uma nova direção para se seguir. Não é uma busca incansável para se apagar o que ficou pra trás, mas o que ficou para trás vai sendo perdido de vista a medida que se caminha para frente. Não é algo que se premedita, porém um evento que simplesmente acontece ao não se escolher ficar parado no tempo esperando o passado virar presente e, enquanto isso, o futuro vai se esvaindo de suas mãos antes mesmo de chegar.
Foto: Elisa Macedo
Não quer dizer que você irá superar fácil. Não quer dizer que você não irá superar.
Quer apenas dizer que a vida vai acontecer e você precisa acompanhá-la, acontecer com ela e ela irá se encaminhar de colocar as coisas no lugar.
Com a cabeça mais fria, a mente mais sossegada e o coração menos aflito é mais fácil de enxergar com olhos puros que tudo vale a pena e te conduz a uma direção. Nada é em vão, tudo tem um propósito, nem que seja o propósito de mudar o seu destino primeiro.
É a aceitação de que se chegou a algum lugar e agora é hora de começar a traçar novas metas e novas rotas. Fazer outros descobrimentos e desvendar o mistério interior que todos carregamos e dia a dia e colocado um pouco mais para fora.
Só iremos chegar ao todo a medida que vivermos. Ora, pois, vivamos!

Elisa Macedo.

quarta-feira, 8 de janeiro de 2014

Não é fácil se livrar do passado. Na realidade, você nunca irá conseguir fazer isso.
No entanto, pensar que foi ele quem te trouxe até aqui, ajuda muito a caminhar a diante e ter melhores expectativas sobre o que virá amanhã.

Elisa Macedo.

terça-feira, 7 de janeiro de 2014

Extremo da Vida

Londres - UK
Ai você acorda e se dá conta de estar no outro extremo da linha traçada para sua vida. Vê que lá na frente, um ponto pequeno e marcante, bem do outro lado está o ponto de chegada onde você deveria estar. Vê que de extremos em extremos, você foi parar em um lugar extremamente diferente do planejado. E a vida foi... E a vida vai...
E pessoas extremas chegam, fazendo com você venha sorrir, fazendo com que você venha chorar. Não aparece ninguém com um pingo de sensatez na veia, que queira apenas caminhar calado, falar algo que não seja triste e nem engraçado, alguém que queira apenas se perder na arte de fazer nada.
A vida vai rolando, com uma pequena bola de neve no topo da montanha congelada e o que antes era extremamente pequeno e indiferente, hoje é extremamente grande para ser ignorado. A pergunta que começa aparecer é aquela do como eu não consegui parar essa avalanche na metade do caminho?
Por que, por que é tão difícil encontrar o equilíbrio sozinho?
E de extremo em extremo você estava acostumado a andar, sem nunca no meio ponto de algum caminho chegar. Agora o tempo vai, o tempo voa, todos encontram um espaço para se estabelecer e de um lado da linha é possível enxergar o seu sonho e, do outro lado, você.

Elisa Macedo

domingo, 5 de janeiro de 2014

Foto: Elisa Macedo
Tem dias que rever certas fotos mostram para você cenas que sua mente já conseguiu esquecer. E hoje, palavras são vazias, sentimentos inexistentes, sonhos apagados e sensações completamente anuladas. Estranho vazio preenchido que fica ao rever olhares, expressões e momentos.
Momentos estes que realmente ficaram para trás. Que ninguém, absolutamente ninguém faz a menor questão de reviver. Recordar então, para quê?
O que importa é que um novo trem passou, uma nova estação chegou e ao olhar para trás, não vemos mais as estações antigas, pois essa não é a primeira parada depois do maremoto, muitas outras já se foram e muitas outras ainda virão.
Piuí-tic-ta.

Elisa Macedo

sábado, 4 de janeiro de 2014

Londres - UK

Para começar, feliz ano novo!
E que ano novo!
A virada do ano foi em Londres, no Reino Unido, capital da maravilhosa Inglaterra, também conhecida como "terras da rainha". Neste intervalo de tempo, muita coisa aconteceu: de um dia frio em Paris à uma noite quente numa banheira maravilhosa em Londres. De um dia lindo em Londres, para uma tarde fria e chuvosa na zona sul. De uma tarde de cansaço para um voo executivo...
12 dias que, para mim, foram 12 anos!
Não sei se vai dar ou se vou conseguir narrar toda essa experiência, ainda que seja em um livro. Deixo aqui algumas imagens para que vocês possam ver por hora.

Jesus Cristo os abençoe,

Nota: Aprendi que só sabemos que Jesus é a única coisa que a gente tem, quando Ele realmente é a única coisa que a gente tem!

Elisa Macedo, de Portugal de novo.