Translate

sábado, 30 de novembro de 2013

98º Dia - Christmas is Coming!

Foto: Mine Karabulut
O melhor feriado do ano está chegando e só Deus sabe o quanto eu amo essa época do ano! *.*
Jingle bells and Jesus Bless you,

Elisa Macedo, from Portugal.

quinta-feira, 28 de novembro de 2013

96º Dia - Getting Better

"Acxis", "Elissa", "Miniii"


"Crazy foot"
Meu pé hoje amanheceu bem melhor. Fui para minhas aulas, fiz minhas últimas entregas, agora falta fazer meus últimos trabalhos. As aulas acabando, preparando meu calendário de férias e... Bom, vamos falar de Brasil depois, né?
O coração começa a apertar em ter que deixar para trás tantas amizades que eu fiz. Pessoas carinhosas que gostam de mim e se importam comigo. Importam-se tanto que quando eu fico muito tempo no quarto, obrigam-me a sair só para quase quebrar meu pé, não é mesmo Mine?
Estamos aqui no quarto trocando fotos, comprando passagens, fazendo os preparativos. Preparativos...
Tudo passa tão rápido!
I will miss you lady!
Bom, tenho uns textos legais para postar que eu havia me esquecido. Creio que amanhã terei tempo hábil para fazer isso. Por enquanto, vou aproveitar mais meu tempo dando beijos e abraços em minhas amigas, fazendo piadas e rindo da cara alheia, depois... Bom, depois terei todo o tempo do mundo para escrever e ficar na internet.
Como diria o lema da minha família, vamos fazer primeiro o que é importante: "Vão viver"!

Boa noite e que Jesus Cristo os abençoe,

Nota:
1- Mine damaged my foot!
2- Francis, Felipe, Luciana and another Erasmus people, Thanks so much for caring about me.

Elisa Macedo, de Portugal.

quarta-feira, 27 de novembro de 2013

97º Dia - Tuna Fish

Sabe quando você escuta uma música na sua janela, vê uma movimentação e olha para ver o que é? Ai, neste momento tem um grupo de aproximadamente 30 garotos, entre eles, mais de 90% muito lindos, cantando afinadamente e tocando instrumentos, além de fazem uma dança característica? Sabe? Sabe mesmo? Sabe quando isso vai acontecer no Brasil?
Que bom!
Porque, aqui, no Algarve aconteceu!
Tuna! *.*
Hoje fiquei muito feliz ao ouvir o pessoal tocando na minha janela. Ainda que não tenha sido específico para ninguém, foi específico para todas as meninas que moram em meu apartamento. A Marta ficou tão empolgada que quase retribuiu o favor, mas foi flagrada em uma dança engraçada pelo Alex, novo amigo que estava me visitando e ficou quietinho assistindo nossas marmotas.
Foi um bom dia. Um dia bom! Que bom!
Mais uma cena de filme para minha coleção Europeia.
Título deste: Noite da Tuna!

Boa noite e que Jesus os abençoe,

Nota: E olha que a festa nem estava tão boa. E olha que meu pé voltou a doer.

Elisa Macedo, das janelas de Portugal.

95º Dia - Quem Olha Assim Até Pensa

Foto: Aris Karam
Quem olha assim até pensa que eu fui mesmo ao Brasil. Deixei o blog literalmente abandonado por mais de uma semana e, graças a uma dor no pé, estou aqui fazendo essa postagem.
Bem, vários sãos os motivos do meu desaparecimento, inclusive o tempo que tenho me dedicado às relações sociais (que não são tantas quanto antes, mas como dei uma parada, preciso investir mais agora), preparação das coisas para os últimos meses e os trabalhos finais dessa semana.
Agora estou com meus pés para cima, torcendo para ser apenas uma luxação. De qualquer forma, estou com os pés pra cima na Europa, já é outro status!
Estou do outro lado do mundo resolvendo os preparativos da minha formatura, que será no próximo ano. Tudo passa muito rápido!
Como diria a Bíblia, nossa existência é um sopro.
Pois, muito bem. Deixe-me terminar meu artigo de Psicologia, pois já que a vida é um sopro, quero sentir esse ventinho bem devagar e demoradamente sem ter que me preocupar com os trabalhos que não fiz.

Bom dia, que Jesus os abençoe e cure meu pé.

Elisa Macedo, do quarto com aquecedor.

terça-feira, 19 de novembro de 2013

87º Dia - Fui Ao Brasil Ver Futebol, Volto Já!

Rádio Facom - Onde Aprendi A Expôr Meus Pitacos Futebolísticos
E foi isso mesmo! Pela segunda vez na semana, assisti o jogo do Brasil com minha família. Como? Skype, meu querido. Skype!
E, assim como tirei do sério o povo do Buteco que meu pai me levou para assistir o último jogo das eliminatórias, hoje eu quase enlouqueci o meu pai. Ele só não ficou bolado, porque a cada cinco minutos após um dos meus comentários, o Galvão Bueno repetia nas palavras dele (urgh!) o que eu já havia dito. Sério, estou ficando muito técnica nessa questão de futebol e todas as minhas previsões feitas a partir das observações acabam se mostrando lógicas e aplicáveis.
Uma previsão não tão boa é a questão do nosso querido e amado goleiro Júlio César. Não adianta olhar pra mim e falar "você é Vascaína e tem que gostar dele", não! Muito pelo contrário. Por eu ser vascaína, tenho um histórico de conhecimento das reações e reflexos do Júlio César, quando o Vasco ainda tinha esperanças de ganhar do Flamengo alguma coisa.
Quando eu critico algum jogador, geralmente eu não gosto de citar nomes. Mas, infelizmente o Júlio César tem me irritado. Desde o princípio, quando eu vi a escalação dele, eu falei com meu pai minhas opiniões. Meu pai quase me bateu falando que eu estava pessimista e gorando o gol, porém, depois que ele viu que eu não fico dando pitaco sem saber das coisas e começou a observar os aspectos do nosso goleiro como eu tinha indicado, teve que dar o braço a torcer.
É incrível a habilidade do Júlio de estar sempre uns cinco, ou seis passos à frente da posição onde ele deveria estar! Meu Deus! Qual o problema dele?Parece que o gol causa urticárias nele, não é possível!
O cidadão não consegue ficar bonitinho no cantinho dele para defender nossa rede. Todas as vezes que olho pra ele, ele está quase na marca do penalti. Como pode isso? Como pode? Não pode! N-Ã-O--P-O-D-E, entendeu?
Outra coisa que me irrita, é o fato dele ficar olhando a bola do time adversário ir para o nosso gol como se fosse uma modelo na passarela. Cara, chegue atrasado na bola, mas faça alguma coisa! Eu sei lá quanto você recebe, mas o mínimo que eu quero ver de alguém que recebe pra jogar bola é dar o sangue, raça e suor.
E por falar em raça, que veneno com os jogadores brasileiros que ficam caindo toda hora! Já sei, já sei que os times estão catimbeiros e parecendo que estão indo pro MMA, ao invés de estarem em um campo de futebol. Mas, já que o juiz nunca marca nada, continuem, vão correndo com o pé sangrando, as batatas da perna se contorcendo, mas continuem!
Eu vejo isso e me lembro dos jogos de interclasse, quando eu era mais nova. Todo mundo machucado e a galera continuava. Não é possível! Sei que uma pernada de chuteira doí, e imagino que deva ser terrível, mas continuem. Ficar não chão não vai dar nada, a não ser para receber um cartão amarelo por simulação desses juízes loucos.
E, com relação a isso: FIFA, VAI PASSEAR! Que arbitragem horrível é essa? Misericórdia!  Esse povo não marca nada!
Eu Explicando Para o Meu Pai a Júlio Cesar's Situation
Tá certo que se for deixar o jogo correr igual os brasileiros gostam, caindo toda hora e para cada falta parar o jogo, não vai ter jogo algum. Porém, até eu que não sou fã número 1 do Neymar tenho ficado com pena. O cara virou praticamente um saco de pancadas. Às vezes eu acho que ele vai brincar de Daniel Sam e virar um "Karatê Kid", correndo e marcando com as pernas estouradas de tanto apanhar!
Preciso dizer algo positivo e que tenho guardado, gosto dessa seleção. É uma escalação da qual eu tenho me identificado, no entanto, se eu fosse jogadora eu não confiaria nunca em ficar fazendo jogo de  retroceder a bola pra zaga e da zaga para o goleiro no final de jogo, enquanto o goleiro fosse o Júlio. Com todo o perdão, pessoal, mas não dá! Sério, eu tento, mas, não. Não dá!
Espero fazer um post em homenagem a ele, dizendo o quanto ele superou minhas expectativas (pois pra mim, o último jogo o Brasil só fechou ganhando de 5 a 0 de Honduras porque o gol dessa vez estava bem defendido pelo "Vitinho" - apelido carinhoso dado por minha mãe) do que ter que fazer um falando a minha frase predileta para quando eu digo as coisas e não me ouvem: "Eu não falei?!".
Sério, gente. Eu tenho muito medo do Júlio César no gol! (Ninguém percebeu).
Não o desmereço como profissional, mas algumas coisas realmente me irritam.
Enfim, jogo assistido, o Robinho fez o gol que eu tanto disse que ele merecia fazer pra dar um motivacional. O Neymar... Bem, fico feliz dele está aprendendo a jogar em equipe, vir pra Europa fez um bem muito grande para ele, acredito. Nossa zaga está trabalhando muito bem (a propósito, estou torcendo para um dos nossos zagueiros em específico fazer um gol para que o pai dele entenda o sentido de uma pergunta que eu fiz durante uma entrevista que ele me concedeu e que, no momento pareceu sem noção, porém, tem de tudo para ter sido a melhor pergunta feita para ele sobre o filho, em relação à Copa do Mundo). A equipe se encontra muito bem entrosada e, eu tenho quase certeza de que ainda vamos ouvir falar muito bem do Oscar e do Bernard nos próximos jogos, mais do que já temos ouvido.
Este foi o último jogo do Brasil este ano. Aguardo ansiosamente pelo ano que vem, tanto os amistosos quando a nossa linda e bela Copa do Mundo.
Que venha 2014! (Pronto Galvão, agora eu te imitei!)

Bom dia, e que Jesus os abençoe.

Nota: 1- São mais de 3 da manhã; 2- É Vasquinho... Vamos lá! Eu ainda acredito que dá; 3- Meus amigos do Brasil só se gabam por conseguirem bater ou pegar uma mosca, porque não conhecem as moscas portuguesas. :P

Elisa Macedo, de Portugal.


segunda-feira, 18 de novembro de 2013

85º Dia - Última Semana

Foto: Isabella Moura
 Já não me bastasse  hoje ter ido à aula com roupa de auxiliar de Papai Noel, de nada me adiantou encapotar-me toda, porque o frio não deu trégua. Pois é, o frio chegou ao Algarve, mas junto com ele duas notícias que me deixam com um sabor paradoxal em minha boca.
A primeira notícia é boa. Essa semana é a semana mais louca que eu tenho em termos acadêmicos. Tenho sete dias, para falar a verdade, seis para finalizar meus trabalhos. Então, essa é a última semana de pura "balada acadêmica"! Hoje eu já comecei a finalizar meus trabalhos que eu já tinha deixado no ponto de bala, só que finalizar parece algo muito fácil quando se está criando, porém, quando evidentemente se tem que finalizar, meu Deus do céu! Parece que por mais que você faça, o negócio não acaba nunca.É igual o suco do desenho do Doug Funny.
Foto: Mine Karabulut
Mas ai você pode está se perguntando, qual a parte boa nisso tudo? Pois bem, a parte boa é que além de gostar de estudar (calma, não me matem!), passar uma semana inteira finalizando todos os trabalhos significa o óbvio: que todos os trabalhos serão finalizados, ou seja, semana que vem é semana de apresentações e depois: VACATION! E eu vou brincar de assistente de Papai Noel nas terras da Rainha, com direito a flocos de neve e tudo mais! lol
Bom, a parte chata é que as aulas acabando, férias chegando significa uma outra coisa: hora de voltar para casa também está vindo junto.
Não me chamem de egoísta, eu também estou com saudades de casa, dos meus familiares, da comida da minha mãe, do meu quarto? Acho que um pouco! Saudades da igreja, da Luana e, até da Facom! Estou com saudades dos meus amigos, do meu trabalho, de um monte de coisa, porém eu gosto muito daqui.
Esse fim de semana eu tive uma confirmação muito louca para mim mesma. Até mesmo quando eu estou triste aqui, a tristeza é uma situação momentânea e se eu parar para pensar na vida sem aquele momentozinho ali, eu sou feliz! Sério, eu sou feliz aqui.
Foto: Isabella Moura
Não que no Brasil eu não fosse, mas aqui eu me sinto produtiva, minhas capacidades aumentadas e as pessoas perto de mim com interesses parecidos, então, um ajuda o outro, por mais que venhamos nos acotovelar também. Eu amo caminhar por essas ruas com luzes laranjas, ver o sol ficar vermelho no horizonte perto da marina, o vento gelado no meu rosto, o meu quarto, eu gosto de tudo aqui. Gosto daqui porque eu passo os dias conversando com Deus toda hora e não somente num horário marcado, pois toda hora tem algo novo para contar e perguntar pra Ele.
Minha vontade era comprar passagens aéreas para meus pais e as pessoas que me importo e trazer para cá. Só que eu não me engano, eu sei que aqui, o Algarve, não é o meu lugar. Assim como o Brasil também não. Talvez eu vire astronauta, vai saber!
Foto: Mine Karabulut
Bom, por mais que esse mix esteja acontecendo dentro de mim, eu fico feliz de poder abraçar meus pais de novo, ver minhas sobrinhas feiosas com cara de ratos de laboratório (mentira, elas são lindas!), apertar os peitos da minha avó, pedir dinheiro para o meu avô, cumprimentar meus vizinhos, pegar ônibus (Oh God!) e de reclamar do calor. Vou ver meus amigos da igreja, fazer tantas coisas que eu acho que assim como não tive tempo de vir pra cá sentindo saudades, não terei tempo de voltar e absorver tudo o que aconteceu.
Tem coisas na minha vida que é realmente como um sonho. Eu durmo e acordo no mesmo lugar, porém durante o intervalo eu fiz tanto coisa que nem sei explicar!
Pois bem, deixe-me parar de jogar conversa para os ares virtuais e terminar meu "dicionário" de Análise de Políticas Públicas.
Abraços pessoas e que Jesus Cristo os abençoe.


Elisa Macedo, de Portugal.

domingo, 17 de novembro de 2013

84º dia - Fim Da Linha

Foto: Lucas Ramos - Quando o Sol Era Quente No Algarve
Dei-me o fim de semana para lamentar. Afinal, há tempos para todas as coisas e eu me dei esse fim de semana para isso. Bom, agora uma nova semana começa e eu não terei tempo para ficar pensando no que deu errado, o que sentir mal, já senti. Agora é bola pra frente.
Essa semana promete ter muitos trabalhos e coisas para resolver. Espero, com a ajuda de Deus, conseguir resolver todas as coisas, inclusive os meus artigos os quais nem olhei para a cara deles nos últimos três dias.
#Oremos

Jesus Cristo abençoe a todos,

Elisa Macedo, de Portugal.

sábado, 16 de novembro de 2013

Brasil

Acervo do Google Imagens
Preparando-me para o jogo do Brasil.

Vamos lá time! Quero ver raça, sangue e suor!

Sacrificar sonhos é estrangular a vida

Foto: Lu Miranda
Se tem uma coisa que eu aprendi nesses vinte e um anos brincando de viver aqui na terra, foi que os meus sonhos não são mais importantes do que os dos outros.
Não há como construir os seus sonhos em cima dos outros, ou às custas dos sonhos dos outros. Isso não é realizar sonhos, isso é matar sonho alheio! Há dois anos atrás, quando este blog foi fechado, ele tinha um lema no início dele "sacrificar sonhos é estrangular a vida". Além de ser um "leminha" bem exagerado para uma adolescente rebelde, nessa frase eu expressava tudo o que eu pensava sobre minha própria vida. Eu não estava disposta a sacrificar meus sonhos. Para mim, quando eu tivesse que fazer isso, seria como se eu tivesse matando a mim mesma.
Hoje, porém, eu vejo que assim como eu não suportaria viver com a ideia de ter sacrificado meus sonhos, não posso, de forma alguma, deixar alguém abrir mão de seus próprios sonhos por minha causa. No "elas por elas", se alguém tem que sentir como se sua vida estivesse sendo estrangulada, esse alguém sou eu e não o outro. Pois bem, aprendi a sacrificar.
Foto: Lu Miranda
Não entendo como têm pessoas no mundo que desistem de tudo por causa de motivos tão patéticos. Da mesma forma, não consigo entender outras que para conseguir o que querem, passam por cima de tudo e de todos, literalmente todos!
Como disse aqui há alguns dias, os sonhos, além de Deus, são as únicas coisas que eu tenho de mim mesma e eu preciso continuar sonhando. Meu avô sempre me ensinou o contrario dos meus pais.
Quando eu contava meus projetos para minha família, minha mãe sempre falava assim "você vai morrer, menina! Para com essas ideias. Vai fazer a prova da PM, alguma coisa do tipo. Você é muito idealista!", meu pai falava "é, né. Então tá?" traduzindo "vai sonhando , né. Já que você está dizendo...". Depois de um tempo vendo que eu estava falando sério, meu pai passou a dizer "a gente só para de sonhar depois que se está morto" e minha mãe a dar corda para os meus sonhos.
Meu avô não. Meu avô Macedo sempre, desde o princípio, disse e ainda diz "isso mesmo, tem que sonhar. Quem sonha muito, se alcançar 50% já alcançou muito. Mas, quem sonha pouco, se alcançar 90%, não alcançou nada!".
Estou com ele.
Foto: Elisa Macedo
Se, por agora, eu tiver que dar um stop, tudo bem. Mas, o que eu jamais vou parar de fazer, nem mesmo no meu leito de morte, é sonhar que eu ainda posso fazer algo de bom para mim, para os que eu amo e para o mundo.
Sim, sou uma idealista!

Elisa Macedo.

sexta-feira, 15 de novembro de 2013

82º dia - Meu Divórcio

Estudando Para o Vestibular em 2008 - CTU
Quase todo mundo sonha em casar, ter filhos, uma casa com um cachorro, um carro na garagem e viajar no domingo com todo mundo. Quase todo mundo. Quase! Eu não.
Meu sonho sempre foi sair do Brasil e estudar. Estudar, estudar, estudar. E, depois de estudar muito, ajudar a solucionar os problemas mundiais e a criar medidas para prevenir tantos outros.
Meninas normais sonham com vestidos de noiva, o meu pretendido sempre foi com meu o de formatura, que hoje em minha mente ele se encontra queimado e sem a menor possibilidade de entrar no meu guarda roupa.
Estudando Para o Vestibular em 2008 - CTU
Na minha mente, minhas daminhas eram minhas sobrinhas com os presentinhos que eu daria para elas voltando das minhas viagens. Meu sapato, seria meu bom e velho All Star, confortável para pisar até na lua.
Meu filho, seria meu computador com todas as ferramentas necessárias para se escrever o que fosse preciso, símbolo da minha aliança com o que eu escolhi fazer na minha vida. Meu bolo seria os diversos  tipos de macarrão que a necessidade faz o estudante aprender. E, o grande dia seria o momento que entraria num avião e viria encontrar com meus sonhos.
Final do Programa de Rádio da UFJF - Grandes Matérias! E,
meu filho, meu lindo PC com minha PT das Crônicas Nárnia.
Como todo casamento, as núpcias foram maravilhosas. Quando me vi no meu "enfim só", no meu quarto, com minhas coisas, meu banheiro, meu travesseiro, meu abajur, meu computador, meu, meu, meu, meu, tudo meu, foi um dos momentos mais emocionantes que eu passei na minha vida.
Imagino que um divorcio não seja fácil. Para falar a verdade, só de imaginar que talvez eu tenha que passar por um... Não sei nem como descrever esse sentimento.Ter que pensar agora que talvez eu tenha que me separar de todos os meus sonhos, dá uma vontade de colocar a mão dentro do meu peito e tirar meu coração pra fora.
Sempre coloquei casamento fora dos meus planos principais, pois não sou muito boa em lidar com separações e, infelizmente, nessa sociedade atual e levando-se em consideração os pretendentes que tive e conheci, não passaria o resto da minha vida com nenhum deles. Para falar verdade, nem se o resto da
minha vida fosse só mais um dia.
Primeiro Trabalho Aceito Fora - Universidade de Ouro Preto
Então, sempre me foquei naquilo que dependia de mim e de Deus, meus estudos.
Meus estudos, meu casamento! Só que para mim, que não sou a rainha da riqueza, as coisas sempre chegam e param de frente para um muro escrito "a partir de agora, só para os que têm recursos" e, é neste momento que a gente fica olhando para este muro, procurando um jeito de passar, enquanto do seu lado, muitos que nem fizeram coisas que você fez, mas tinham um "primo" e um "tio" que estava sobre o muro e os colocaram lá.
Bom, paciência!
Indo Fazer a Prova do Intercâmbio
O que eu pude fazer, fiz. Fiz tudo que estava ao meu alcance, tudo que estava nas minhas mãos e que dependia de mim para que as coisas dessem certo. O que me consola é saber que todas as oportunidades para fazer o certo que Deus me deu, eu fiz. Agora, não depende mais de mim.
Muitos lamentam não estar casados, eu apenas lamento ter tantas dificuldades para concluir meus estudos como eu gostaria.

Preparação Para Fotos do Convite de Formatura
Boa noite amor, se essa for nossa última noite juntos, será linda! Vou dormir com todos os meus livros do meu lado! E, para meus amigos que já me acham meio doidinha, ai vai a confirmação. Se eu não ganhar meu diploma, pelo menos ganho um atestado público de louca!

Jesus Cristo me abençoe,


Elisa Macedo, de Portugal - ainda e, por enquanto.

Saudade Apertando

Foto: Edson Mishima / Eu e minha Mãe


Foto: Edson Mishima / Eu e minha Mãe
 
Eu e minha Mãe

Eu e minha Mãe

Eu e minha Mãe
Acho que a pior parte disso tudo é a saudades. Sinto saudades da minha mãe!
Às vezes me pego igual criança chorando no quarto gritando que eu quero minha mãe e é tão difícil ficar longe dela, por tanto tempo assim!
Todos os dias eu ligo meu Skype, nem que seja pra arrumar uma briguinha com ela, porque desse jeito a gente se fala por mais tempo e depois gastamos mais horas em reconciliação e falando da vida alheia para esquecer o mal clima.
Eu não consigo entender filhos que não gostam de mães! Sério!
Minha mãe é minha mãe e, pode parecer redundância, mas não é.
Minha mãe imitando o jogador
Eu e minha mãe nas calçadas de Cabo-Frio
Peripécias da minha mãe
Minha mãe beijando o Machado,
Se não me engano. :P
Eu e minha Mãe
A pior parte disso tudo é não estar com ela no shopping para dar aquele péssimo conselho de moda, que só ela sabe fazer. Querer combinar laranja com florzinha e falar que é moda. Não sei aonde, mas ela diz que é. Saudade de quando eu vou à um café comprar alguma guloseima ela atrás de mim falando "come mais, minha filha. Economiza com dinheiro não". To com saudades dela que não recebe nem R$200,00 por mês, mas consegue pagar contas de mais de R$1.000,00 e estou falando sério. O pior de tudo, também, é saber que a maior parte dessas contas é por minha causa, não porque eu peça, porque odeio ver minha mãe gastando dinheiro comigo, mas porque ela gosta de me fazer feliz ainda que eu não fale o que irá fazer.
Todos os dias aqui no Algarve, quando estou com frio, no lugar de colocar um casaco, eu coloco o roupão que ela me deu.
Ela só sabe fazer isso comigo...
No dia que fui lavar minhas roupas e ficaram branquinhas, fiquei me achando. Porém, depois que fiz minha blusa amarela ficar mostarda, meu pijama verde limão, ficar verde musgo e a blusa branca, cinza, senti falta dela falando que eu não sei fazer nada direito.
Família, saudades.
Eu não quero ir embora agora, mas eu quero minha mãe aqui.
Se eu pudesse, se eu fosse rica, se eu tivesse dinheiro, eu pagaria as passagens para ela agora mesmo.
Eu estou com saudades. E, eu não tenho vergonha de dizer: EU QUERO MINHA MÃE. AGORA!

81º Dia - Fazendo O Que Deve Ser Feito

Para ler este post com mais emoção, escute essa música durante a leitura. 
------

Foto: Acervo de Imagens do Google
Acorde inspirada hoje. Mesmo com a garganta queimando, por causa do frio, levantei, fui à cozinha, fiz uma espécie de Toddy com canela, torradinhas com geleia de morango e comecei a conversar com a Letícia sobre as coisas do Brasil. Conversa vai, conversa vem, eu comecei com minha conversa de teoria da conspiração sobre a Copa de 1998, onde o Brasil ENTREGOU o campeonato para França! Gente, eu me lembro dessa cena como se fosse hoje.
Eu tinha apenas seis anos e me lembro direitinho do dia da final, quando eu coloquei minha blusinha do Brasil, short azul, meião e minha chuteira para assistir a final. Sei que na hora que eu entendi o que estava rolando, não tive a mesma paciência do meu pai, saí da sala e fui para o muro da varanda ver o jogo de lá. Quase chorando, pois sabia o que a seleção estava fazendo. Oh meu Deus!!! Dá vontade de chorar ainda hoje. E, para mim, esse trato Brasil e França não acabou lá não... Enfim, não vou dilacerar minha teoria aqui, acompanhemos os próximos embates, pois o da última Copa de 2010 só fez confirmar o que eu acredito.
Foto: Acervo de Imagens do Google
Bom, chorei meu Vasco, revoltei-me com alguns jogadores do Brasil, bolei sobre o Cristiano Ronaldo e essa adoração imbecil que o povo de Portugal tem por ele. Lembrei do jogo Brasil X Portugal que assisti num buteco aqui e o quanto isso foi engraçado. Os velhinhos portugueses vibrando com um "uuuulhhhh", igual a gente faz quando o time adversário não faz um gol, para o gol de Portugal, enquanto eu estava lá "Raça time! Quero Sangue! Vão bora!!! Goooooooooooooooooooooooooooool, aháaaaaaaaaaaaa Gooooooooooooooooollllllll!" na hora que o Brasil marcou. Gritando com o fominha (não preciso citar o nome) o temo todo, torcendo pela nossa zaga muito doida e manjando de todos os paranaués envolvidos.
Foto: Memorial Fúnebre de Vasco da Gama em Lisboa
Lembrei da última vez que assisti jogo num barzinho no Brasil, quando eu estava no meio de um monte de homem falando "olha lá, tem uma linha de três para cada jogador brasileiro. Até mesmo os da Zaga estão sendo marcados por um triângulo e, o último de cada triângulo é o primeiro do triângulo do outro jogador." Vi os caras largando o copo, olhando para minha cara, falando mudamente "maluca"! Mas, o melhor foi no show do intervalo, quando o ARrrrnalllllllllllllllllldo César Coelho e seu companheiro falaram exatamente o que eu tinha dito e usando computação gráfica. kkkkk Nessa hora eu gritei mais do que quando o Brasil fez gol. Meu pai nunca mais me leva para assistir jogo com ele! :P
Queria tanto assistir um jogo do Benfica! *.* Já pensou, eu aqui em Portugal vendo jogo do Benfica? Iria ser de mais! Tipo, "mãe, Benfica não me deixa!".
Bom, tirando as revoltas futibolísticas e as recordações do nosso amado Lúcio, camisa 4, metido a atacante, copas, jogos, vasco, Euro Copa, jogadores que dão testemunho e outros que dá vontade de dar uns tapas no pé da orelha, falamos de novela mexicana, Sandy Júnior, Titanic, clima no Brasil, viagens, águas!
Ahhhhh Águas brasileiras! Águas quentes, doces, salgadas, com gás, sem gás, frias, deliciosas, maravilhosas e sem impurezas!
Eu e o Dumbo (Meu Irmão)! ahahaha
A conversa foi indo para um ponto muito louco, tipo minhas brigas com meu irmão, os "fights" frenéticos lá em casa entre eu e ele, as cópias de raio-X, minha mãe fazendo drama e coisas do tipo.
Poxa, o dia começou interessante. Tanto, que resolvi colocar o post agora de manhã. Vou arrumar minhas malas, porque vou despachar algumas para o Brasil hoje, pois quero comprar umas coisinhas nas terras da Rainha e preciso de espaço na minha mala.
Deixe-me ir, pois hoje preciso fazer o que deve ser feito: conhecer minha cidade, pois vou a tantos lugares, mas ainda não conheço a cultura, história e acervo da minha própria cidade. #Vergonha.
Bom pessoal, #Parti.

God Bless You,

Nota: Não gosto que falem mau do Gordinho (Ronaldinho, Fenômeno)  perto de mim!
Elisa Macedo, de Portugal.

quinta-feira, 14 de novembro de 2013

Clockwise Sentence

Poster do Filme Clockwise
 Clockwise

Hoje assisti o filme "Clockwise" de 1986, dirigido por Christopher Morahan, na aula de psicologia. O filme é uma comédia inglesa de muito boa qualidade, que satiriza a pontualidade britânica.
Mister Stimpson, interpretado por John Cleese, é um diretor de um colégio público inglês que foi convidado para ser o presidente do conselho dos diretores de escolas privadas. Para ele, uma grande honra, uma vez que muito dificilmente um diretor de escola pública conseguiria chegar aquele cargo de tamanha representatividade. Ele conseguiu tal façanha sendo extremamente rigoroso com o horário e vigilante da escola onde era diretor. Porém, no dia de se apresentar como o presidente do conselho, ele se atrasa totalmente por conta de sua mania de falar "right" toda hora.
"Right" em inglês pode designar tanto a nossa expressão "certo?!", como direita em oposição à esquerda. Pois bem, o início do desfiladeiro é quando ele perde o trem por ter entendido que o veículo correto era o da direita e não o da esquerda. Uma cena engraçada, em que ele pergunta "qual é o trem?" e o guarda responde "o da esquerda" (left). Ele diz "right!" e o guarda responde "right", desapercebido do contexto da conversa, ele toma o "right" final como a resposta de sua pergunta e parte para a plataforma errada.
Pois bem, o que quero falar aqui não é bem sobre o filme, mas valeu esse esboço inicial para despertar o interesse naqueles que gostam de produtos de boa qualidade. Então, vamos ao que interessa.

Hope

Em determinado momento do filme, quando Mr. Stimpson pensa não ter mais tempo para chegar aonde queria, a sua acompanhante de viagem pergunta para ele se o desespero o estava deixando louco, ou algo do tipo. E ele responde que não. Que o que nos deixa louco não é o desespero e sim a esperança.
Fiquei com aquilo na cabeça e quem me conhece, já sabe  que eu fiquei mastigando essa história.
Foto: Acervo de imagens do Google
Realmente, o que nos deixa apavorado não é o desespero. Como meu próprio professor disse, quando estamos desesperados, nós simplesmente nos entregamos e pronto. Choramos, gritamos, porque não há nada a ser feito quanto ao que nos levou àquela situação. Porém, quando estamos esperançosos... Quando estamos esperançosos é terrível!
Ficamos com uma sensação de impotência. Queremos a todo o custo trazer o futuro para o presente. São tantas expectativas envolvidas, que só nossa pretensão de que elas venham acontecer, deixa-nos enlouquecidos.
Isso tudo porque nós não conseguimos ter o controle do futuro e queremos imaginá-lo, tocá-lo e realizá-lo a nossa maneira. A esperança é perigosa! Acho que por isso dizem que mesmo ela sendo a última que morre, é a primeira que mata.
Ficamos aflitos, pois o que nos reserva é um desconhecido que queremos que seja o conhecido de nossos desejos. Neste ponto, vamos para uma íntima da esperança, porém muito mais completa e formidável.

Faith

Foto: Acervo de imagens do Google
A fé, por outro lado, não é como a esperança que te consome, atordoa-te e tira seus pensamentos do presente momento e te leva à viver em sua mente coisas futuras, deixando-o cada dia mais apreensivo. A fé é limpa e pura. Ela trás paz e, sabe como ela faz isso? Simples. É porque a fé é a convicção do que nos dá esperança.
A esperança sozinha não passa de um "apurrinhamento" no nosso interior para nos deixar ansiosos pelo desconhecimento do futuro. Já a fé, bom, a fé ela nos deixa tranquilos, pois é a certeza de que o futuro esperado será real e concreto. Portanto, não há motivos para ansiedade, nervosismos ou coisas do tipo. Se aquilo irá acontecer e estamos convictos, não há motivos para termos o desconhecido, pois não há desconhecidos na história.
E é ai que entra um grande detalhe.

God Is Alive

Albert Einstein, em embate com o  físico Niels
Bohr,simplesmente abandonou o programa
de TV com a frase categórica e eficiente
"Deus não joga dados", quando Bohr o desafiou
 dizendo que a existência de Deus poderia
ser comparada a um jogo de dados.
Vivemos em um mundo onde aflição tomou conta, o medo e a incerteza são um dos príncipes mais temidos da nossa sociedade. Vemos muitas pessoas brincando de "matar Deus" só para não terem com quem acertar as contas num futuro que para elas é incerto. É muito mais fácil acabar com o desconhecido do que buscar conhecimento dele. As pessoas abraçam a aflição com uma pseudo racionalidade e chamam a fé alheia de cega.
Quando os povos não conheciam todo o território terrestre, simplesmente ignoravam a existência de terras além mar. Diversas histórias foram criadas, lendas e coisas do tipo para tapear e manter a calma em todos os corações que se afligiriam ao imaginar que além Europa existia um Mundo Novo (graças a Deus pelos Portugueses, não é mesmo?!). Atualmente, fazemos a mesma coisa, de uma forma estranha, porém, com o mesmo intuito de impedir as pessoas de conhecer o desconhecido.
O que mais ouvimos nas academias são professores a falar que as histórias da Bíblia são só histórias, anedotas, fábulas, e, quanto aos fatos que gritam na face de todos mostrando o quão real é a Palavra, "bom, ignoremos-os"!
Os que gritam existir um Deus, assim como os que gritavam existir um outro mundo a ser descoberto, são chamados de loucos e Hereges da Ciência.
O que mais deixa esse povo louco, é quando eles batem de cara com pessoas estudiosas que creem em Deus. Nessas horas, é como diriam no Brasil: o povo #Pira! É como se o fato de ser um "estudioso", "inteligente" não te permitisse acreditar, pensar e estar com e no Senhor. Talvez seja por isso que eles insistem em falar que grandes estudiosos eram ateus, sendo que isso é uma grande mentira, como Albert Einstein, por exemplo, que tinha o seu jeitão lá de crer em Deus, mas cria. Então, eles falam isso como se fosse para afirmar "olha, você estuda, assim como Einstein. Se quer continuar sendo como ele, pare de crer na Bíblia".
Foto: Acervo de imagens do Google
Umas coisas loucas como essa acontecem no mundo o tempo todo, mas eu sempre me lembro do meu professor de História que tive no CTU, Rogério Resende (que, by the way, eu não sei se acredita ou não em Deus), ele sempre dizia "a história se repete", nenhum evento é novo. No fim, é verdade. O que muda são os atores, algumas cenas, alguns propósitos, mas no fim... No fim é o ser humano fazendo as mesmas (isso mesmo) de sempre.

#Oremos #let'spray.


"Ora, a fé é o firme fundamento das coisas que se esperam, e a prova das coisas que se não vêem."


Elisa Macedo.

80º dia - Notícias Oficiais

É muito boa a sensação de se estar contribuindo para para algo maior no mundo. Algo maior, que nem eu mesmo havia imaginado. Quando Deus me disse que essa viagem iria muito além do que eu tinha esperado, eu não imaginava que eu não tinha imaginado tanta coisa boa que está acontecendo. Glória a Deus!

Nota: Deixe-me mexer nos meus artigos agora. Volto com mais informações ao redor do mundo.
Elisa Macedo, em breve, das Terras da Rainha!

quarta-feira, 13 de novembro de 2013

Xerox

Foto: Nívia Costa
Eu me recuso! Eu tomo pau, mas eu não pago!
Acredita que a xerox de 124 páginas dá € 11,20 que, transformados para a moeda brasileira, dá por volta de R$ 37,30? Mas, vocês vão me desculpar, esse material que precisa ser xerocado é da Lu Miranda, mas se fosse meu, já sabiam: eu não pagava! Eu iria ler no computador, marcar meu Ecrã, mas eu não pagava. Vai me desculpar, com R$37,00 eu vou ao Rio de Janeiro, ou então, compro uma pulseira bonita para minha formatura. Ou mesmo dou de presente pra minha mãe que iria ficar rindo por dois anos direto, mas eu não pagaria esse absurdo!
Na UFJF, indo no Xerox mais caro, pagaríamos R$12,40. Mas, eu nunca mais reclamo que o Xerox da Facom vive quebrado!
Pode ficar quebrado, meu filho, desde que você tire minhas xerox e não me cobre em Euros, tá valendo.
Que situação!
Rolou até uma zoaçãozinha aqui na biblioteca: todo filme de intercambista que vem pra Europa, eles sempre se dão bem, faz mil e uma coisas, vida cheia de emoções enlouquecedoras "com uma turminha do barulho" (bendita Sessão da Tarde!). Nós chegamos aqui, vivemos nossa cota de Adventures, mas não estou entendendo o que está acontecendo.

#Oremos e #Cantemos, por que para o Brasil #Retornaremos.


Nota: Pode isso produção? A Nívia acabou de pagar €9,00 em uma caixinha de lápis! Ai, meu coração!

Conversa na Biblioteca

Lu Miranda: Mas, o quê que este lápis faz?
Nívia Costa: Nada, uai. Colore!
Lis Macedo: hahahahhaahhahahhahhahaha


Lu Miranda: Você tem clips, Nívia?
Nívia Costa: Não, eu tenho estilete.
Lis Macedo: hahahahhahahhaahhahahah (tudo igualzinho!)

terça-feira, 12 de novembro de 2013

79º dia - Sonhando, Outra vez

Foto: Luciana Miranda
E eu ainda vou sorrir na neve, fazer meu anjo, jogar uma bolinha em alguma pessoa qualquer, comprar meu chocolate quente à noite e sair andando com meu copo térmico pelas ruas. E eu ainda verei desconhecidos, conversarei com um velhinho, ouvirei canções de Natal nas ruas, caminharei com uma moeda na mão a jogá-la para cima e pegá-la sem a deixar cair ao chão. E eu ainda chegarei em casa, acenderei as luzes, tirarei minhas botas e andarei de meias pela casa como se estivesse deslizando no gelo, porém sem sentir meus pés cortados pelo frio.
Foto: Luciana Miranda
E eu ainda colocarei uma bela canção, ouvirei essa música dançando como louca em um tapete macio. E eu continuarei sonhando, pois mesmo depois de algum tempo, eu continuo acreditando que sonhos podem ser reais.
....

Eu ainda consigo me pegar como uma criança boba a fazer planos para um Natal perfeito. Quero ver aquelas luzes que sempre deixam meu coração com uma batida diferente, que tiram o fôlego dos meus pulmões e me levam acreditar ainda mais que tudo pode ser melhor. Eu vou olhar para aqueles sininhos dourados lindos, pendurados em pinheiros de verdade e ao acordar, correrei para a janela para ver se a neve estará caindo.
Foto: Luciana Miranda
No meu pensamento, minha família estará na mesa da sala me esperando para o café, enquanto minha mãe faz a costumeira barulhada, preparando a ceia, que só sairá exatamente à meia noite, enquanto nós ainda nem fizemos o desejum. Será meu primeiro natal fora de casa e eu estou tentando manter o foco no que me faz sonhar, para que a saudades de todos que estão no Brasil não venha ofuscar o branco congelante que eu tanto desejo ver nessa data especial. Sim, sim, sim. Eu já estou me preparando para o Natal, meu mais amado feriado do ano, Jesus's Birthday


Elisa Macedo, de Portugal.

Novas Músicas

Há muito tempo  que não posto a letra de alguma música aqui. Pois bem, vamos mudar essa realidade agora.
Com vocês, "Great In All The Earth" de Starfield, álbum I Will Go - 2008.




The world is Yours and everything in it
It's all at Your command
There is no end to Your domain
The planets shake the galaxies tremble
They turn within Your hands
There is no end to Your domain
No height or depth You don't sustain

Great in all the earth is Your glory oh God
The universe declares how amazing You are
Over history and eternity, You alone are Lord and King

The world is Yours and everything in it
It's all at Your command
There is no end to Your domain
No height or depth You don't sustain

There is none like You

Lisboa A Olhos Nus

Todo mundo quando viaja para lugares turísticos gosta de ficar tirando fotos nos pontos considerados mais importantes turisticamente. No entanto, é necessário ter um olhar puro e crítico, de forma a conhecer a cidade que existe e não somente a que querem nos mostrar. Deixo aqui, então, as fotografias da Lisboa que os olhos cobertos não vêem, mas que precisamos capturar para conhecer a cidade que existe além da historicidade que queremos buscar.

Nota: As fotos passaram por processo de tratamento de contraste da cor.
Elisa Macedo.

Foto: Elisa Macedo

Foto: Elisa Macedo

Foto: Elisa Macedo

Foto: Elisa Macedo

Foto: Elisa Macedo

Foto: Elisa Macedo

Foto: Elisa Macedo


Foto: Elisa Macedo

Foto: Elisa Macedo