Translate

terça-feira, 15 de outubro de 2013

49º dia - Faxina

Nas ruas do Algarve
 Não sei, mas tem dias que eu sinto que eu já perdi as contas dos dias que eu estou aqui. Até mesmo quando venho postar no blog, sempre tenho que voltar na postagem anterior, conferir qual foi o dia e, ainda assim, ficar uns dois minutos pensando se eu não postei errado naquela data. No entanto, o que vale é que realmente estou aqui.
Hoje tirei o dia para faxinar esse quarto. Estava uma bagunça a minha parte. A Marta, graças a Deus, é sempre bem organizada e eu também sou, quando não tenho que sair às pressas, como foi nos últimos dias. E, entre dormir mais e deixar tudo arrumado, preferi a primeira opção. Porém, quem saí de casa, sempre leva um pedaço dela consigo.
Pois bem. Hoje, quando eu e a Marta estávamos cozinhando nosso almoço, percebi que toda hora ou eu, ou ela ficávamos "ah, minha mãe faz desse jeito", "na minha casa, minha mãe faz assim", tudo tínhamos uma frase sobre a coisas que nossas amadas progenitoras faziam o favor de fazer por nós. Acabei reparando que a gente saí de casa por causa dos pais, mas, quando estamos fora, lembramos-nos deles o tempo inteiro!
Minha coluna tem doído muito por causa deste louco colchão e estes travesseiros estranhos. Vou te falar, viu?! Quando eu deito, tudo parece confortável, mas na hora que acordo, só Jesus na causa! Mas, fazer o quê?
Pagando de garota propaganda da Moche
O bom é que meu problema é com o colchão, com a Moche (falando nisso, consegui recuperar o Galaxy), com meus sapatos que vão se deteriorando pelo caminho, enfim, problema com coisas e coisas a gente simplesmente ignora e vai vivendo. Outra coisa muito importante para eu colocar na próxima lista do que as pessoas precisam para ser um intercambista, ser uma pessoa "de boaça". Quem não consegue ser assim dá futuro no exterior não.
A gente saí de casa, com um colchão maravilhoso, uma cama cheia de travesseiros e edredons, vai pro outro lado do mundo, dormir com um conjunto básico de roupa de cama. Esse tipo de coisa, meu amigo, é só para os fortes!
Em todos os casos, comecei a me organizar melhor. Acho que foi o lance da faxina que me colocou mais espertinha. Como deixei minha agenda no Brasil, resolvi colar papéis na parede com coisas que eu devo fazer, porque afinal de contas, se eu não fizer isso, não irei cumprir com nenhuma das minhas obrigações. (Acho que agora entendo porque o John Wesley era tão metódico).
No mais galera, estou pensando em ir à Aarhus visitar a Lorena Vila Real. Ela quem me ajudou tanto nesse intercâmbio, preciso ir lá tirar umas fotos andando de bicicleta no meio das flores coloridas, isso é, se eu chegar lá antes da neve.
Um beijo e um queijo, que Jesus Cristo os abençoe,

Elisa Macedo, de Portugal.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Leu a postagem? Então não deixe de comentar. Abraços e que Jesus os abençoe, Elisa Macedo.