Translate

quarta-feira, 2 de outubro de 2013

35º dia - Batons Vermelhos

Chegando No Shopping Em Portimão
Sempre quis conhecer a Grécia. Sempre achei de mais o costume deles de quebrar pratos após comer uma refeição extremamente maravilhosa, como eu imagino que seja a comida grega. Muito embora o Aris tenha me contado que essa história de quebrar pratos é mais "turística" do que "cultural", sei bem disso, porque todo mundo que olha pra brasileiro acha que a gente sabe sambar (só que eu sei). Bom,antes de ir ao prato quebrado, vamos ao início da história...
OMG
Enfim, acordei às 10h da manhã, após ter ido dormir às 4 e pouquinha, com a Isabella Moura me ligando. Eu desliguei o celular, porém me dei conta que a Moche (empresa de telefonia portuguesa) é uma baita dedo duro e iria contar pra Isabella, por mensagem, que eu desliguei o telefone. Foi ai então que eu o liguei de novo, e vi que tinha uma mensagem. Tinha me esquecido que hoje era dia de irmos à Portimão!
Oh Meu Deus! Que cidade linda! Amo Portimão!
Bom, vamos por partes.
Não desliguei o telefone porque não queria falar com a Isabella, mas porque eu queria dormir. Porém, ao me lembrar do passeio, pensei "eu? Vou ficar aqui? Trancada nesse quarto esse dia todo? Just Not!"
Acho que nunca me arrumei tão rápido. Coloquei uma garrafa de água na bolsa e fomos embora.
Chocolate + Estação de Trem= *.*²
Chegando na estação de comboio, o sistema para sacar dinheiro não estava funcionando e o caixa não estava aceitando cartão de crédito. Naquele momento, meu coração mandou uma mensagem assim para meu cérebro, que distribuiu para todo o meu corpo: "vamos voltar pra cama?"
Foi então quando Deus, lindo Deus lindo e maravilhoso, entrou em meu favor e não deixou que meu dia fosse assim. Ele viu gente, ele viu. O rapaz que trabalha  no caixa foi até nós e falou: "Vocês querem ir pra Portimão?"
Gente, eu nem soube responder. Fiz igual aqueles cachorrinhos que ficam atrás dos carros no Brasil. Sacudi a cabeça e fui andando atrás dele. Compramos as passagens e fomos para Portimão.
Portimão, Portimão, Portimão. Não canso de repetir essa palavra! Quando cheguei nesta cidade a primeira coisa que eu fiz, depois de descobrir onde era o shopping, foi falar com a Isabella, que logo concordou comigo, ou falou comigo e eu concordei com ela, que estávamos em casa.
Sério. Aquela cidade é cidade grande.
Faro é uma Ouro Preto melhorada, planificada, com bons lugares para ir e sem doces verdadeiramente doces para comer. Mas, Portimão... Oh My God!
Eu quase liguei pra minha mãe e falei:
- Mãe, estou aqui no Independência Shopping, vou pegar o 35, e depois o 18, em 1 hora eu estou em casa.
Sério. Chegando lá me senti em casa. Senti-me tão em casa, que me dei o luxo de quebrar um prato após o almoço. O mais interessante foi o povo batendo palma igual no RU da UFJF. Eu, claro, muito cortês, fiz o agradecimento real e todos ficamos bem.
Voltando...
Eu e a Isabella, que chegamos com aquelas caras de felizes, voltamos com cara de acabadas realizadas. Meu Deus, como eu comprei! Comprei o que não podia, não devia, mas precisava.
Estava muito nervosa, meio estressada, com muitas coisas na mente, diversas histórias rolando nessa vida de pseudo Erasmus e uma coisa conseguiu me deixar calma, além daquele chocolate com menta: comprar batons vermelhos.
O mais incrível é que eu sempre compro batons da mesma tonalidade. Sendo assim, ninguém nota a diferença, a não ser eu que sei que em tal dia, eu estava usando tal marca. Mas, estou fazendo uma coleção boa de batons vermelhos. A cada batom meu nível de felicidade ia aumentando. E como tinha batons bons naquele shopping!
Meu quarto, minha cama, meus louquinhos!
Comprei batons importados da Espanha, da França, enlouqueci e fiquei boa.
Comprei acessórios para usar na Espanha e descobri que eu só tinha problemas na maioria das vezes em ser feminina no Brasil, porque o preço das coisas são realmente abusivos e os produtos não me agradavam. Ah, mas aqui tudo me agrada. Principalmente quando custa entre 2 e 10 Euros!
Oh gente, pra quê chororô? Tão pouca coisa faz a gente tão feliz!
Minha Caneca e Café para o Maickel!
Marta!!! Eu Te PEGO!
Tive um dia ótimo. A Isabella se perdeu nas lojas de maquiagem, parecia uma boneca de testes com as bochechas em tons diferentes, comprando batons franceses por 5 euros. A menina tava enlouquecida. A cada minuto quando chegamos eu a ouvia dizer "Estamos em Bervely Hills!".
Ah vida!
Realmente de mais.
Ela só me fez perder minha aula de Salsa (sim, eu estou dançando salsa) e, nada mais, foi só a aula mesmo que perdi.
Bom, quem acha que isso ta bom de mais, não sabe do resto.
Quando eu chego em casa, vejo pelo lado de fora da minha janela o meu quarto cheio. Na minha cama duas pessoas sentadas e uma cabeça de menino aqui dentro. Ao entrar dei de cara com Mine, Deniz, Akkiz, Luciana e Maickel fazendo a zorra, com a liderança da Marta Polonesa. A menina fez uma dose de café (vide foto) para o povo que estava aqui, aguardando a gente chegar para dar as novas. Que novas!
Erasmus Girls in Otávio's Party #Pray
Só faltou a Nívia, Otávio e Daniela. Bom, mais ai, dessa vez, eu ia ser expulsa do dormitório por excesso de pessoas em um quarto.
Bom, agora deixe-me ir porque são 2:08h e eu tenho aula às 9:00h.

Buenas Noches, Jesus Cristo os abençoe!

Nota: A festa do Otávio ontem foi um sucesso internacional! #Oremos

 Elisa Macedo, de Portugal.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Leu a postagem? Então não deixe de comentar. Abraços e que Jesus os abençoe, Elisa Macedo.