Translate

segunda-feira, 30 de setembro de 2013

Otávio's Day

Hoje é aniversário do Otávio Campos! A gente briga por tudo, mas a gente se ama... #SQN.
Não concordamos com nada, a não ser quando o assunto se refere a uma boa tiradinha de levinho no Pristher. Não combinamos. Não damos certo. Somos opostos completos, que as leis da atração não podem interferir para atrair mas, eu sei que, de certa forma, amamos-nos. 
Sendo assim, tenho mais que ficar feliz neste lindo dia, afinal, ele está vivo, enchendo o minha paciência, pronto para me chamar de ridícula na hora que ver essa postagem, se é que irá ver... Vai ter mil facas nas mãos, gritando para eu deletar isso, falando que ele não é "obrigado"... "Oh God! É sério que eu tinha que viajar com este garoto?^^" 
Em todos os casos, ele é tão insignificante que a nota para o aniversário dele é quase uma outra postagem independente.
Bom, o que mais dizer além de todas as fagulhas entre nós? Não há palavras para expressar tanto desgosto entre duas pessoas. E isso é o que torna os momentos que estamos juntos tão legais, divertidos e sarcásticos.
Se tem uma coisa que eu vou sentir saudades de Portugal é de poder implicar com o Otávio toda vez que eu estiver querendo começar a pensar em ficar triste. Afinal, se eu passar mal outra vez, ele vem me buscar em casa... Se eu quiser uma cama grande para dormir, é só começar a pular na cama dele que ele sai e deixa eu ficar com ela... Se eu quiser comer biscoito de graça é só falar "nessa sua casa não tem nada én? Que pobreza!" e ele logo irá colocar todos os pacotes disponíveis a minha disposição... É só eu falar que não aguento esse povo que fuma em tudo quanto é canto e logo verei o Otávio fazer de bobo e, para não dá o braço a torcer, no lugar de fumar no quarto que é dele, poderei vê-lo quase atravessar na casa do vizinho ao fumar pela janela e o cheiro não me incomodar... Se eu quiser ter um momento de oração diferente, é só tentar fazer isso no sofá dele, que ele irá para a cozinha e ficar perguntando "já posso voltar?"... Se eu quiser criticar alguém, basta olhar com olhos enviesados as roupas de canarinho que ele comprou  e pronto, critica feita e barraco armado!
Se eu quiser cometer um crime, é só chamar o Otávio para roubarmos o Azeite da Isabella e, se eu quiser deixar o Otávio muito irritado, é só ir cozinhar na casa dele no dia que ele não está na escala da cozinha.
Resumindo, vou ter que fazer um outro post e transformar essa nota em uma matéria autônoma, porque este desgastante e desgostável garoto fez isso comigo...
Caquinha! Já gosto dele.
Ai menino, sai de perto. Deixa eu ir dormir!
Ah é, boa noite e Parabéns que Jesus te abençoe muito. Não se engane e não deixe ninguém te enganar, afinal, você é sim, uma pessoa muito especial, pelo menos para mim.
3 palavras pra você.
Fui!

Nota 1: Você está abrindo o marcador AMIGOS no meu blog.
2: Uma música para você CLIQUE AQUI seu chato de galocha - LITERALMENTE! KKKKKK
3: Me respeita!

"He is jealous for you!" ;) Think about it!

33º dia - Sonhos

Dia Internacional
De tanto que vivi meus sonhos, acordei cansada vivendo outro sonho de verdade. Isto pode parecer loucura, mas é tão bom quando se sonha algo bom e se acorda vivendo algo melhor ainda. Você não precisa usar seus sonhos para escapar da realidade, agora, a realidade é a melhor parte de você.
É bom saber que você não é a segunda, nem a terceira opção. É ótimo saber que você não é nem mesmo a primeira opção. É ótimo saber que você é a única opção!
Dia Internacional
Sentimentos diferentes para se experimentar é o que tenho vivido nestes dias aqui em Portugal. Embora tudo seja extremo, as situações me transformam pouco a pouco em alguém realmente diferente e melhor.
Tenho experimentado momentos de alegria, raiva, nacionalismo, antinacionalismo, saudades, vontade de não voltar pro Brasil, um mix completo de uma profusão de sentimentos diversos que têm me feito ver a vida com novos olhos. Com vontade de abraça-la e estar com ela, não só estar nela.
É ver a chuva com calma. Sentir o sabor de um doce. Apreciar minha cama. Ouvir boa música. Fazer uma oração e só agradecer.
Vielas do Algarve
Quando se está fora de casa, os seus novos amigos se tornam uma espécie de família. E como tenho falado desde o primeiro dia, tudo aqui é uma espécie: uma espécie de açúcar (pois não adoça), uma espécie de sal (pois não salga), uma espécie de arroz (pois não é igual ao nosso), uma espécie de feijão (pois não tem gosto de feijão, nem tamanho, nem cheiro de feijão), tudo é uma espécie de algo, acho até que estou tendo uma espécie de intercâmbio... Uma espécie bem melhor. E, voltando a falar de família, tenho visto como ter pessoas que consideramos por perto é importante.
Foto: Busra Gonul
Hoje eu, Marta, Akkiz, Deniz ( que enfim se mudou para nosso AP) e Mine ficamos horas no meu quarto conversando sobre coisas da vida e é incrível como a vida é cheia de coisas! E queremos colocar mais coisas nela, inclusive boas recordações. Por conta disso,  acho que agora estou criando coragem para viajar.
E vamos que vamos.
Boa noite, que Jesus Cristo os abençoe.

Nota: A nota virou postagem. Clique aqui para ver.


Elisa Macedo, de Portugal.

domingo, 29 de setembro de 2013

Quando minha fé se estendeu...

Estava em pedaços o meu coração... E ainda é difícil para mim acreditar que hoje ele está todo renovado. Ainda é difícil acreditar que essa sou eu e que essa é minha história. Que tudo foi feito novo e que tudo que está acontecendo é maior e melhor do que eu podia sonhar ou pensar.
Ainda é difícil acreditar que essa é minha história.
Ainda é difícil acreditar que essa sou eu.
Ainda é difícil acreditar que este novo coração é meu.
Realmente, Deus fez grandes coisas por mim. Grandes coisas, sim, fez o Senhor por mim.

Nota: Essa é a música, clique aqui para ouvi-la.

Boa Noite, Jesus os abençoe. 
Elisa Macedo.

32º dia - Perdendo a Noção

Brazilian Food - Almoço na minha residência


Se eu não estou louca, hoje é meu 32º dia em Portugal. Perdi a noção se eu tenho postado os dias de acordo com meu tempo neste país, ou se estou contando desde o momento que cheguei no Algarve. Para fins de compreensão e linha de temporalidade, fica assim mesmo, ok?
Tudo tranquilo por aqui. Adiei uma viagem hoje. Iria conhecer a "Ibitipoca" da região, no entanto, amanheceu chovendo, minha cama estava tão gostosa que resolvi ficar. Por um momento tive um lapso de "quero ir agora", mas, como eu disse, foi só por um momento.
Passando o dia em casa, curtindo essa vida rica de poder descansar, pensar em mim, pensar na vida, conversar. Pude até escrever! Ahhhh que saudades que estava de escrever! Escrever por prazer, distração, alegrias e emoções... Senti que estou um pouco (muito) enferrujada, mas com o tempo pego o jeito de novo...
Chuva no Algarve
Falando em passar o dia em casa, boa parte desse dia eu fiquei sentadinha num banquinho confortável, falando, rindo, comendo e já contando como se fosse passado histórias tão recentemente vividas. A Isabella Moura almoçou aqui, senti-me dona da minha própria casa, recebendo amigos, oferecendo almoços, simplesmente Portugal, declarei independência!
Morar "sozinha" é quase como eu sempre imaginei. Bom de mais! Acho que o que falta, se é que falta, é simplesmente coisas que, para facilitar, dizemos que são "questões de logística". Sinto que preciso descansar antes de ir à igreja e que preciso estudar um pouco mais de inglês.
Passei também um pouco do tempo ouvindo música velha e me permitindo estar comigo, vendo a chuva fininha que caí na minha janela. Parece que Juiz de Fora veio comigo para Portugal!
Ademais caros amigos e leitores, durante essa semana venho trazendo mais informações. Basta dizer que o segundo mês no Algarve promete ser mais intenso que o primeiro e que estou pretendendo dar um pulinho ali (muito bom falar isso) na Espanha.
Beijos e abraços, que Jesus os abençoe,

Elisa Macedo, de Portugal.

O Vento Tem Sabor

Subir pensando, caminhar entre a vegetação e sentir saudades vivendo este momento. Haverá lindas estrelas e nuvens brancas em um céu completamente azul marinho.
Quando ao topo chegar verá que não foi mentira. Que tudo é realidade! Que ainda existe arco-íris e que o sol brilha de verdade. Verá que a campina é um sofá macio te convidando a sentar. Desprender horas do seu dia contemplando a beleza do universo. Tocar as mãos de Deus e descobrir que, além de cheiro e toque, o vento tem sabor.

Elisa Macedo.

Aqui Dentro

Cabo-Frio - Rio de Janeiro / Brasil
Fechar os olhos e ser arrastada em memórias para um furacão de emoções. Anos enfim se passaram. A vida, por fim aconteceu.
Viva! Estou viva!
Respirando o meu fôlego de vida como se o hoje fosse pra sempre e o pra sempre não se acabasse nunca.
O que foi ontem é apenas uma leve tempestade vista de uma linda janela. Aqui dentro, tudo é quente, tudo é bom, tudo é felicidade.
O frio, a dor, a solidão, fantasmas que foram há muito eliminados, hoje são apenas fotografias apagadas e que não podem ser encontradas em outra forma de existência.
O sol, continua a brilhar, aqui dentro. Lá fora? Não me importa, pois agora sou apenas eu, Deus e a vida.
Cabo-Frio - Rio de Janeiro / Brasil
O que será do amanhã? Não me importo, afinal, quem soube escrever essa história até aqui, tem competência para trazer o não tão esperado, mas muito desejado, final feliz.

Elisa Macedo.

sábado, 28 de setembro de 2013

1º mês no Algarve - O inverno chega, incoerente

Iria escrever um texto gigante, mas, sabe o que é mais importante? viver! Aproveitar os momentos que Deus me deu, a alegria de estar viva, com tanta gente boa, com tanta gente legal, sorrindo, cantando, pulando, sorrindo, sorrindo e sorrindo...
Ah este blog, tão diferente de anos atrás! Graças a Deus!!! Aleluias!
O que basta é dizer que o inverno chegou no Algarve e, incoerentemente, ao invés de trazer nostalgia e preguiça, continuamos todos felizes e alegres, aproveitando cada momento e tendo este frio como um presente e um convite para mantermos nossos corações cada vez mais aquecidos.
Bom dia e que Jesus os abençoe,

Elisa Macedo, de Portugal.

Nota: O tempo voa!

Korb's Party - "New House Tea"

UFJF: Daniela, Otávio e Eu

Akkiz - Turquia, Aris - Grécia e Eu - Brasil

Ainda converteremos a sua cerveja em suco Otávio

Eu e Deniz - Turquia

Salmos 126 - Versão Elisa Macedo

Hoje eu posso ler este texto assim:

Quando o SENHOR restaurou a minha sorte, fiquei como os que sonham.
Então a minha boca se encheu de riso e os meus lábios de júbilo; então se dizia entre as nações: Grandes coisas fez o Senhor ela.
E, de fato, grandes coisas fez o Senhor por mim, pelas quais estou alegre.
Traze-nos outra vez, ó Senhor, do cativeiro, como as correntes das águas no sul.
Os que semeiam em lágrimas segarão com alegria.
Aquele que leva a preciosa semente, andando e chorando, voltará, sem dúvida, com alegria, trazendo consigo os seus molhos.

Nota: O conteúdo do texto foi alterado por mim, para representar o momento em que estou vivendo. Para acessar o Salmo 126 na íntegra, clique aqui.

Elisa Macedo, de Portugal

quinta-feira, 26 de setembro de 2013

30ª dia - O lixo

E o barraco foi armado por conta do lixo aqui na favela.
Quero nem saber de fofoca. Não sou presidente de nada. Se tiver algum problema pra resolver sobre mim, fale com a Dilma.
Boa Noite, Jesus os abençoe.

Elisa Macedo, de Portugal.

Erasmus

Cidade Velha - Faro

Castelo - Faro

Eu e a Akkiz

quarta-feira, 25 de setembro de 2013

29º dia - Erasmusada

Stradivarius Shopping

Felicidade da Criança e deboche da Isabella


Foto do Dia Épico no Castelo
Prister ao centro, fazendo fama às minhas custas aqui na Europa. Vou cobrar!


Este é o novo verbo para definir "bolada" em inglês Erasmus: erasmusada!
Karaokê ou Karaôke, aqui em PT
A Marta Polonesa ficou muito irritada com um Erasmus aqui e armou maior barraco com ele por causa das grossuras que ele estava a fazer com os outros. Para se terem uma ideia, a fama do menino o precedia. Nós nem o conhecíamos e todos já sabiam das coisas que ele andava aprontando. Todas, ou pelo menos eu, pensamos que deveria ser questão de terem pegado o garoto no dia errado, com a "bola virada" ou coisa do tipo... Mas, não. Realmente, ele faz jus a fama.
Arrumou confusão com todo mundo! Só não arrumou comigo porque eu me precavi e fiquei de longe pra não passar raiva, porque minha reação é muito diferente dos demais. A Marta é que quase deu um Hadouken no meio da lua dele, por causa das grossuras dele com os outros, inclusive com ela e com a Isabella.
Lu Explicando Quem é Voldemort
O Mais engraçado foi no dia que fomos à Lagos ele estava na nossa frente, a Busra não sabia quem ele era e falou algo a respeito. Neste dia percebemos que ele precisaria de um novo nome. Voldemort, aquele que não se pode pronunciar. Afinal, há o dito popular de que quando falamos de alguém, esse alguém aparece do nada. Enfim... Demos o nome ao cidadão.
Quando de repente falamos que ele se chamaria Voldemort, poque é o nome que não se pode pronunciar, a Isabella me solta um:
- Ai gente, não entendo nada desses assuntos religiosos!
kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
Acredite, há uma pessoa no mundo que não sabe nada de Harry Potter! kkkkkkkkkkkkkkkkk
Bom, a Lu Miranda, depois de morrer de rir, evidentemente, tentou explicar. (Vide a  foto).
A Marta erasmusou com o Voldemort ao saber de tudo e chegou igual aquelas negonas do Brooklin. A menina não tem nem 1,5 metros, mas de tão feroz parecia ter uns 3.
Por falar nela, preciso agradecer muito essa menina. Eu sempre perco minha chave e ela tem que sair dos lugares que ela está só para abrir a porta pra mim. Preciso criar vergonha na minha cara, mesmo ela sempre dizendo "Elisa, don't woRi"
Enfim, vou deixar fotos para vocês.
LagoX
Beijos e abraços, que Jesus os abençoe.

Elisa Macedo, de Portugal.

Nota: 1- O povo daqui tem uma mania realmente irritante, eles fumam de mais!!!! DE mais!!!! DE MAIS!!! EM todos os lugares. Eu volto para casa cheirando a fumo. Fumo mais do que eles passivamente, e o cigarro é maior e mais roliço. Estou vendo o dia que vou chegar na aula e vai ter gente fumando dentro de sala. Credo!
2- Ontem eu aprendi a falar "que que ta pegando ai véy?" em Turco. Clique aqui para ver o vídeo.
3- Postagem de ontem está no meu Facebook. Para ver, clique aqui.

"Acros the Sky - Shooting Stars"

segunda-feira, 23 de setembro de 2013

27º dia - Caráter

A gente estuda nas horas vagas, se possível! hahaha
Estou impressionada! Realmente impressionada!
Estava na aula de Política e acabei descobrindo quanta coisa sobre o próprio Brasil  que eu nunca tinha aprendido. Além do mais, a qualidade do ensino é muito diferente. A grade curricular, os temas abordados, o que é cobrado de um aluno é algo fora da lógica brasileira. Para se ter uma ideia, um professor ficou revoltado ao perceber que a maioria da turma só sabia falar português, inglês e espanhol. Onde já se viu isso, não é mesmo? Só falar 3 idiomas. Como pode isso Arnaldo César Coelho?
Pois é.
Outra descoberta no campo da política, foi ver que esse campo não é uma bagunça somente no Brasil. Nós brasileiros deveríamos amar o voto, porque mesmo Portugal sendo um país democrático, pelo que eu entendi, em primeira instância, a democracia deles é delimitada, uma vez que o sistema é parlamentarista com o poder executivo nas mãos do Primeiro Ministro. Que confusão!
O Presidente no fim das contas, nada mais é do que um boneco que na hora que não estiver gostando da brincadeira, aperta um botão qualquer e dissolve o parlamento. Como diria o professor, "depois de sugerir o Primeiro Ministro, ele só tem poder destrutivo". Consegui compreender o terror do sigilo bancário, a confusão dos paraísos fiscais no Brasil, o porque a crise jogou Portugal no chão e a causa para tanta confusão do Mensalão brasileiro. Assustado? Sim. Eu vim entender o mensalão na Europa!
Foram tantas reportagens nada explicativas, tantos professores falando dentro de sala de aula no Brasil como se todos já soubessem de tudo do por trás das câmeras, que o que ficava era um povo revoltado dentro de sala falando sobre a única parte que todo mundo tinha entendido: ESTAVAM NOS ROUBANDO!
Agora, como roubou, porque roubou e para que roubou, filho, muitos que lerem essa postagem e venham criticar uma "jornalista" que não sabia disso, provavelmente ainda não sabem destes motivos a cima apontados.
O mais impressionante de tudo, daí o motivo de ter no início dessa postagem a palavra "impressionada" por duas vezes, é que esta aula foi dada de 14:30 até as 18:15h, com apenas 15 minutos de intervalo para uma turma que deveria ser de 27 alunos, no entanto, com menos de 12 presentes e de 7 efetivos, que ficaram até o final. Agora, onde está o motivo de tanta admiração? Ora, é simples, um professor que consegue deixar o nível da aula tão elevado, com uma quantidade de alunos que no Brasil seria considerada desmotivante, realmente me chocou.
Já ouvi um professor aqui falar que dar aula é o mínimo que ele pode fazer, já que recebe pra isso, quando uma aluna levantou uma questão sobre o auto índice de abstenção das aulas. O professor aqui não diminuí o rítmo da aula dele em função dos alunos, simplesmente dão a aula com 10, 20,100 da mesma forma que dariam, com o mesmo empenho, com a mesma destreza! Como diriam as turcas "I'm in chock!"
Enfim, a cada dia que passa, a cada aula que passa, eu descubro o quanto eu gosto de política. Ainda mais quando o conteúdo é apresentado de forma tão elouquente e interessante. De verdade, acho que aprendi mais em 3 aulas do que em 3 anos de faculdade.
Está valendo muito a pena!
Para os menos interessados no tema, deixo as fotos do dia de ontem logo à baixo, para que não venham pensar que por causa do tema, irei postar mais fotos fora do contexto nestas postagens.

Boa noite a todos, Jesus Cristo os abençoe.

Elisa Macedo de Portugal

Memorial da Segunda Guerra Mundial em Lagos - Portugal

Lagos - Portugal

Noite anterior ao passeio
Da esquerda para direita: Magdalena, Isabella,
Luciana, Marta,  Eu,Mine, Akkiz, Paula e Busra
Na noite de quinta-feira - Recepção de Calouros

Eu e Mine

domingo, 22 de setembro de 2013

26º dia - O mais atípico dia que alguém pode ter


Dentro do trem
Já se imaginou indo para uma das mais belas praias da Europa, com rochas, lugares paradisíacos e com ótimas companhias e, de repente, tudo sair do controle? Pois é. Hoje foi o dia mais atípico na vida de muitas pessoas que estavam comigo e, embora eu já tenha tido dias totalmente loucos como este, realmente, não pude deixar de compartilhar novamente essa emoção.
O mais engraçado é que tinha tudo para dar errado!
Para início de conversa, ontem, no lugar de todo mundo ficar em casa, dormir cedo e esperar o outro dia para irmos viajar, como tínhamos programado, o povo louco resolveu viver a vida ao jeito Erasmus, resumindo: festa!
Grupo completo que chegou em lagos - Isabella Moura
Ok, fomos à festa. O lugar, não irei nem repetir o que já tenho dito aqui sobre os locais de festas. Sem entrar nos detalhes das festas, meditações e uma pessoa que eu não preciso citar correndo às 3 horas da manhã na rua gritando "I can fly, I can fly!", vou direto ao ponto neste parágrafo que irá se iniciar.
Acordamos loucas de sono! Loucas de sono. O mais engraçado de tudo foi a Marta Polonesa, que deveria ser a mais cansada entre nós, estava acordada antes de mim. Arrumamos-nos, quase perdemos o trem, encontramos amigos esperados e inesperados... Creia quando eu digo inesperados!
Lagos: Foto tirada ontem por Lucas Ramos
Dentro do trem, novas observações puderam ser de fato feitas... O jeito espontâneo de viver não é tão apreciado, não somente no Brasil, mas acho que no mundo todo. Porém, não nos importamos, o que nos importa é viver!
Fomos como quem estava em um excursão de escola. Brincando, conversando, tirando fotos, tudo isso em uma verdadeira Torre de Babel, de tantos idiomas presentes em um vagão. De polonês à ucraniano, ouvimos de tudo naquele lugar. E, no momento que o assunto era divertido para todos, podíamos ouvir os diferentes sotaques de inglês a falar coisas sobrepostas e tudo terminar em diferentes gargalhadas.
Ao chegarmos em Lagos, deparamos-nos com uma das mais belas naturezas que nós poderíamos ter visto até agora aqui em Portugal, e, talvez, no mundo inteiro!
Caminho para a praia
Nosso grupo resolveu não ir direto à praia ao chegarmos à estação de trem. Isso, a princípio, pareceu um grande erro. E foi.
Ficamos na cidade, andando, conhecendo lugares, subindo morros (infinitos morros), tirando fotos e procurando desesperadamente por um lugar bom e barato para comermos. Enfim, encontramos. Tirando o barraco quase armado na lanchonete por causa da falta de graça da garçonete, tudo foi lindo! Experimentei meu Waffle e eu preciso dizer: É como eu imaginava!!! *.*
Meu Deus, que dia bom! - Incoerentemente, bom!
Esse erro de ficar na cidade nos fez desencontrar de parte do grupo. Acabou que os ucranianos, poloneses e alemães foram na frente para à praia, enquanto as brazucas e as turcas ficaram para trás.
A partir daí amigo, só confusão.
Memorial da 2ª Guerra Mundial
Em meio à castelos, muralhas, forte, ou seja lá como eles chamam aquilo aqui em Portugal, conseguimos nos perder no caminho da Praia Dona Ana. Lindo mesmo, foi ver a Isabella no meio do mato gritando "vamos sair daqui", a Lu Miranda em silêncio com "aquela cara" e a Mine, Busra e Akkiz com as carinhas de cansadas mais fofas do universo.
Mas, antes disso, tínhamos conseguido achar a tal praia. Com mar revolto, um hotel com piscina e tudo que tinha direito, mas o detalhe está no ambiente ser privada. A Isabella atacou de brasileira revoltada e soltou um "eu não vou pagar pra ficar num lugar que Deus criou" com o dono das barracas. Resolvemos, então, sair da praia.
Ficamos no caminho, perto do loteamento, deitadas no chão, como sem terras, ou homeless, como você preferir. Jogadas, na vida louca de tudo. Vendo o mar lindo lá em baixo, a praia perfeita, pessoas de biquíni, um calor federal, enquanto nós estávamos lá em cima, vendo tudo, de roupa, assando e depois sentindo frio por causa do vento... Deitadas no chão, comendo de tudo e bebendo água. Quase chorando... E, como se não bastasse, eu soltei aquela "se minha mãe souber desse dia, nunca mais vai me deixar sair de casa!" (Mãe, não faça isso).
Homeless (hahhahaha)
De repente, pensamos que este era um dos dias mais loucos de nossas vidas.
A Mine para completar me solta um "às vezes eu não entendo tudo que vocês falam, mas eu dou risadas do mesmo jeito".Todo mundo começou a rir, porque isso acontece com quase todos, penso eu. Então, tenho uma frase a dizer, emprestada da Akkiz "not important". (hhahahahahaha)
Rimos até dizer chega.
Homeless part 2
Todas falando em vários idiomas e, em inglês, que deveríamos saber falar uma as línguas das outras, pois isso iria ser uma loucura sem fim. Oh, imagino eu que é até bom não sabermos, afinal, a graça está em completar o que não entendemos do jeito mais divertido possível e, por incrível que pareça, por mais que as palavras estejam erradas, o sentido que entendemos é sempre o certo.
Cansamos de esperar a outra parte do grupo nos encontrar.
Fomos à outra parte da praia. A parte Free e foi ai que nos perdemos no caminho.
Chegando ao local, foi lindo! 
Consegui atirar uma pedra que quicou na água de primeira, emocionante. A pena foi não ter conseguido outra vez! (hahaha).
Outra lástima é não poder dar mais detalhes, pois isso iria virar um livro, com certeza.
Porém, a Busra disse algo muito legal: "Hoje é o dia mais feliz da minha vida!" E, quando ela disse isso, foi porque ela viu o mar pela primeira vez. Melhor de tudo foi saber que fizemos parte disso. Todas fizemos parte desse dia louco na vida uma das outras!
Voltando para casa, quase perdemos o trem... De novo! O cara da estação segurou a porta para nós, o trem buzinou e conseguimos entrar.
Acabadas. Essa é a palavra! Voltamos a-ca-ba-das! Colocamos os pés nos bancos, as turcas também não ficaram para trás, "se jogaram", literalmente.
Como se não bastasse, ao chegarmos em casa, eu, Mine, Luciana e Akkiz fomos à igreja Presbiteriana. Jesus! Isso foi ótimo!
Igreja Presbiteriana Viva em Faro
Para se ter a noção, foi festa! Vida de Erasmus, até na igreja, sempre tem uma festa! (hahahah- isso dá um slogan) Comemos muita comida com tempero brasileiro e com o tempero português melhorado. Gente, que comida boa, Jesus!
Foi de mais. Foi lindo!
Para resumir o culto, este foi finalizado com a Mine ao meu lado fazendo sua primeira oração para Jesus depois de tanta comilança,"Jesus, I'm  full. Thanks."
No caminho de casa viemos quase que nos arrastando.
Sentimos muita falta da Marta nessas horas e, ao chegarmos ao dormitório a primeira coisa que fizemos foi contar o resumo do culto na igreja. E, para fechar esta postagem, irei colocar a frase que ela falou depois de saber da nossa empreitada neste dia "Where is the next celebration?"
Sério, eu só tenho a agradecer a meu lindo Jesus por tudo isso que tenho vivido.
E, quanto ao nosso maior erro, de termos escolhido ir pra cidade no lugar de irmos para praia direto, tenho algo a dizer, foi o erro mais acertado que poderíamos ter dado! Deus sabe de todas as coisas. Pensamos em boas histórias, mas Ele vem e escreve outras melhores por cima. 
Vamos que vamos! Com certeza tem mais.
Jesus os abençoe, muito, tanto quanto tem nos abençoado.

Elisa Macedo, de Portugal.

Nota: Para todos os problemas que apareceram no caminho, cantamos essa frase "I don't care!" hahahhahah
2- Música do dia: "We are the champions"

sábado, 21 de setembro de 2013

25º dia - Quando se tem amigos...

... Você consegue superar os obstáculos, romper as barreiras e guardar a fé.
Sim, ontem foi um dia difícil. Nada de dramas americanos, a propósito, não vamos falar de América agora, ok?
Foto: Mine Karabulut
O dia foi um tanto quanto meloso e entediante. Eu contribui em muito para que ele começasse assim. Mal ele tinha começado e eu decidi ficar na cama até as 6 horas da tarde morgando, com saudades do pessoal do Brasil, comendo Nutela e com remorso de ter comido tanto!
Quando foi às 7 horas da tarde, sim, da tarde, pois aqui o sol se põe lá pras 9 "da noite", as meninas da Turquia vieram ao meu quarto e me convidaram para "go for a walk". Decidi ir. Afinal, um dos meus lemas é "se está triste em casa, vá pra rua. Pelo menos lá fora as coisas podem melhorar" e, foi o que aconteceu.
Antes de ir aos detalhes da noite, gostaria de dividir algo com vocês.
Lazy City, Lazy People
Quando se está vivendo a realização de um sonho, nem tudo é fácil. Era pra ser, ou é o que nós imaginamos que seria, no entanto, você precisa a todo o tempo controlar seu coração, suas emoções, pois é a realização de um sonho e não de todos os sonhos que estão acontecendo, pelo menos agora comigo. Neste momento, eu estou em Portugal, desfrutando essa experiência e sentindo saudades das pessoas que deixei no Brasil. Porém, preciso moderar meus sentimentos neste país de Cabral, porque se não, quando eu voltar ao Brasil, vou passar meus dias lamentando a saudades das pessoas tão especiais que conheci aqui.
Nem sempre a realização do sonho muda a cara do sonho. Ele é real, mas se fica tão absorto que mais parece que você ainda está dormindo, ou devaneando...
Eu sempre planejei minha vida assim, sempre de um lado pra outro, conhecendo países, pessoas, mas preciso confessar que não contava com isso. Eu pensei muito no racional, mas deixei meio que o emocional de lado. Pensei que ele fosse se adequar aos acontecimentos e, agora, estou vendo que não é bem assim.
Eu, Akkiz e Busra
Não mudei minha opinião quanto aos projetos futuros, apenas estou descobrindo novas estratégias que eu pensava que não precisaria de usar. Mas, o que eu sei, é que mesmo pensando que eu estou me controlando, meu coração já foi marcado.
Foi marcado por cada sorriso, cada palavra, cada sotaque, cada expressão do "body language"... Cada perfume, cada abraço, cada jeito de abraçar, que por sinal, estou ensinando o abraço juizforano por aqui: apenas um abraço e um beijo demorado, longe destes dois beijinhos estranhos que se dão em Portugal e, fiquei sabendo que em outros lugares do Brasil também. Resumindo: Já sou parte da boiada!
Foto: Busra Gonul
A noite, bom, a noite foi maravilhosa! Conheci gente nova, falei com gente nova, falei coisas novas, vivendo o novo a cada dia de novo.
Fomos ao Castelo outra vez, vivemos a vida calmamente, desfrutando de cada segundo como se fosse cada gota do nosso white drink/soft drink (bebida sem álcool), com prazer e sutilmente.
Hoje, decidi passar o dia em casa. Mas, diferente de ontem, escolhi agitar essa vida. Estudei inglês, conversei com meus pais, meu irmão e minha sobrinha. Fiz fuzaca com as meninas do dormitório por causa de uns costumes estranhos na residência... Enfim, marasmo fora!
Vamos fazer um jantar cultural hoje. Fiquei por conta do feijão, porque feijão por aqui é ingrediente e não prato principal. Então, dá-le tempero nessa gente!
Bom pessoal, vou mandando notícias com o passar dos dias. Obrigada a todos que estão acompanhando o blog, mandando o feedback pelo Facebook, ou pelo Skype. Amo vocês!
Jesus os abençoe,

Elisa Macedo, de Portugal.

Nota: 1- Pessoal, para deixar comentários é só clicar em "nenhum comentário", digitar e usar sua conta do Google pra enviar. Ele não vai aparecer de primeira, pois eu preciso aprovar, o que eu faço sempre, a não ser quando contém palavrão, ou coisas do tipo. 
2- Não tinha melhor música para eu ouvir digitando esta postagem.