Translate

sábado, 31 de agosto de 2013

3º Dia - Compras

Shopping do Faro
Hoje fui conhecer o Shopping! O lugar é lindo, a céu aberto e digno de ser chamado Shopping. Lojas finíssimas, Stradivarius, Levi Strauss, Zara, Pull and Bear... Entre tantas outras. E, dei uma "sorte" maravilhosa, tudo em promoção!
Para se ter uma ideia, comprei uma bolsa da Pull and Bear super baratinha. Vi que estava 15 e resolvi comprar, na hora de pagar a moça me cobrou 5, mas eu nem prestei atenção. Na hora que estava indo encontrar o Vinicius eu tava lendo a nota fiscal e vi 5 no lugar de 15. Surtei! Queria ir lá na moça pedir pra ela pegar os outros 10, porque para eles, assim como para mim, 10 é muita coisa! Ainda mais em tempos de crise.
Comprinhas no Shopping de Faro
Quando a Nívea falou:
- Vamos olhar aqui e conferir o preço.
Não é que achamos uma etiqueta em cima de um monte de outras etiquetas marcando 5?! De mais!
Estou incrivelmente surpreendida com meu país. Porque tanta coisa cara no Brasil minha gente? Isso doí tá. Doí mesmo. Mas, enfim...
Hora de fazer um particular com Deus, porque até agora não achei uma igreja evangélica para eu ir. Aguardando a galera da Presbiteriana do Norte chegar.
Beijos a todos,

Elisa Macedo de Portugal

Tudo diferente

Muito diferente acordar, ficar parada na cama, olhando para o teto e pensando na  vida. De repente, você vê que não está pensando em nada. Até no nada você pensa. Você está fora de órbita e dentro de algum lugar.
Ver um novo céu, ver um novo chão... Novos rostos, novas pessoas, novo ar. Tudo é novo! Tudo é diferente! Talvez, o céu seja assim. A cada caminhada glorificamos as coisas boas e novas que veremos, assim como uma vez certo pastor me explicou.
Sei que está sendo lindo... Está sendo belo. Vivendo a vida lentamente e vendo esta passar rapidamente. As incoerências, as loucuras, as emoções e a rajada de novos sentimentos que não nos dá tempo para ficarmos atordoados. Muitas emoções, muitas emoções, muitas emoções...
Novas experiências e saber que se está sendo capaz de se abrir para o novo!

Bom dia!

Elisa Macedo de Portugal

sexta-feira, 30 de agosto de 2013

Comida na Europa

Nunca vi tanta coisa barata na minha vida!
Sim, o Euro vale mais que o Real, mas se você tomar por referêncial que no Brasil ganhamos em Real e gastamos em Real e que na Europa se ganha em Euros e se gasta em Euros, podemos eliminar todas as conversões e tomar os valores como equiparados.
Sendo assim, venho delatar coisas que reparei nestes dois dias em Portugal.
Primeiro, ainda não sei o que é suco para eles! Sério, eu peço suco e sempre me falam que não tem, com um monte do que para mim é suco na frente deles. Então, aprendi a pedir Néctar!
O doce não é tão doce! Uma tristeza né? Eu lá, imaginando a vida a comer doces portugueses... Isso bem seria verdade, claro, se o doce fosse doce. Mas, até que são bem gostosos... Diferentes, mas gostosos.
Aqui tem muita coisa exótica, mas eles não tem muita paciência para explicar os recheios. Então, estou comendo "mixto" quente há dois dias! :D
O presunto parece carne fatiada bem fininha e aqui se compra água. Sério, se não comprar, não se bebe! A não ser que você queira uma da torneira, que provavelmente é dessalinizada.
Agora, o melhor de tudo em relação às comidas: São MUIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIITO baratas. E, quando eu digo muito baratas, eu estou dizendo MUIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIITO baratas mesmo!
Você sabe o que é ir ao supermercado com 15 e voltar com duas sacolas e uma garrafa de água. A da água eu sei que não, mas com duas sacolas, talvez, mas com a quantidade e qualidade de produtos, duvido!
Comprei arroz, queijo, pão, óleo, iogurte... Iogurte a 0,17 A CARTELA COM 4! Sucrilhos, leite, frutas, batata palha, bife de hamburguer, duas garrafas de 2 litros do que é "refrigerante sem gás", mas, para mim, é suco, dois drops de balas e água.
Ou seja, fiz a farra!
Nem se você transformar 15 para real você consegue comprar isso tudo no mercado brasileiro! Muita especulação, isso está me revoltando!
Chocolate aqui, segundo as meninas da casa, é quase sem gordura e muito mais puro que o nosso Cacau Show! Dá pra imaginar?
Uma coisa que me assustou foi ver um animal inteiro, "depelado" lá no açougue do mercado! Que loucura!!! Pensei que era cachorro, mas era coelho! Trem feio sô! Como isso não!
Sem falar que acho que o mercado é uma máfia doida. Todos os alimentos são baratos, mas os do nome da rede, são muito mais baratos.
Bom, agora to no Skype com a galera e não to conseguindo concentrar. Para os antigos leitores, postarei textos não pessoais também, ok? Mas, isso mais pra frente, por enquanto, tudo é novidade!

2º dia - Faro

Até os táxis na Europa são Mercedes.  No Brasil são os ônibus
Minhas primeiras impressões de Lisboa poderiam ter sido perfeitas, se não fossem duas coisinhas: meu cansaço e a pilantragem de taxistas no mundo todo! E, por causa dele ter me passado as pernas (e olha que eu me achava a detectora de pilantras, acho que terei que especializar essa arte internacionalmente), eu não quis pegar um táxi até a estação de trem, ou melhor, comboio.
Duas amigas da Lilith e da Julyan, minhas discipuladoras que fiquei na casa delas em Lisboa, levaram-me para a estação, ou iam me levar se eu não tivesse desmaiado no meio da Avenida. Sim, eu desmaiei em Lisboa. Ou melhor, eu desfaleci, porque desmaiar é não ficar consciente durante o black out.
Vista do Porto de cima do aeroporto
Foi lindo eu desmaiando! Coisa boa de se ver. Uma coisa é desmaiar no Brasil, outra é desmaiar na Europa. Bom, pelo menos foi assim que disse os meus novos amigos de casa. Então, fiquei no chão deitada, muita ajuda apareceu e eu não fiquei cercada de abiúdos. As duas amigas e mais uma moça simpática me ajudaram ligando para ambulância. Por sinal, elas estavam revoltadíssimas porque a ambulância levou mais de 9 minutos para me buscar.
Respondi milhões de informações a respeito da minha saúde, olharam meu cartão saúde e um um baita questionário sobre o português do Brasil e a revolta deles em ter que falar "fato", no lugar de "facto", por causa das novas regras ortográficas da lingua. Acredite, isso mudou ainda mais a vida deles do que a nossa.
Aeroporto da cidade do Porto em Portugal
Para completar o dia, fui pra estação de trem, o povo da ambulância me liberou para que eu fosse pegar meu comboio com a "condição" de me alimentar, outra vez. O que fiz crendo que carregar 17,7 kg nas costas tenha consumido toda a energia que tinha em mim.
A Mari e a mãe dela chamaram um táxi, obrigaram o taxista a ser honesto e eu cheguei até a estação. Lá foi de mais! Sempre quis andar de trem. Todos que leem este blog há mais tempo, ou que andou passeando pelas postagens antigas, sabem o quanto esse sonho me inspirava. Lá tinha um cidadão querendo me empurrar um relógio por £40, depois por £20, depois 2 por £20, no final, eu pensei "cansei de ser enganada!" (a lá Douglas). Falei com ele:
- Então, já que você precisa de ajuda, eu te pago £5 para você carregar minhas malas até minha plataforma.
Bom, o cara aceitou.
Em algum lugar do Algarve
Chegando lá, eu paguei apenas £2,50. Não foi por querer que fiz isso, na hora que vi que ia dar R$15,00 pra alguém subir a escada rolante com minha mala, e nem era a mais pesada, eu fui mais razoável comigo mesma. Pulando algumas emoções, estava assim "Senhor, por favor, envia alguém pra me ajudar com estas malas até o local certo.", porque eu ainda tinha que esperar para ver a estação e subir mais um andar. Foi quando brotou uma moça me pedindo moedas. Eu disse "I cannot understand you" e a cidadã disse algo como "I need money". Creia. Isso mesmo. Não é piada! Na Europa o povo pede esmola em vários idiomas. Quase arranhei um francês pra ver o que ela faria. kkkk Para resumir, não dei dinheiro, mas ofereci o lanchinho que guardei. Ela aceitou e queria mais moedas. Não as dei!
Foi quando uma moça, bem distinta positivamente, da minha idade, falou algo assim:
-  You gave her a food and she wants money. Sorry, I don't speak English very well...
Mapa de Algarve
E, ali eu soltei um:
- Do you speak Portuguese?
E ela:
- Yes.
E eu:
- Que bom, eu também.
E ali começamos a conversar. Foi super legal! Ela já é da aeronáutica, mesmo tão novinha. Ajudou-me com as malas e tivemos um papo super cabeça. Peguei meu trem e vim para o Faro!
Ahhhh o Faro!!!
Sim, é a Cabo-Frio portuguesa!
Que cidade linda!
Quando cheguei aqui, eu realmente me senti em casa. Comi como louca a comida do pessoal da UFJF, fui ao mercado, esqueci de avisar as meninas que eu estava bem, o que fiz há alguns minutos atrás, tomei banho... GELADO e agora estou postando isso. Bom, é muita coisa pra uma postagem só. Vou fazer outras sobre tópicos que eu acho importante ressaltar, como transporte, alimentação e compras!
Bom galera, essas foram as emoções de hoje, bem resumidinhas.

Nota: Sem fotos de Lisboa.

Abraços a todos e que Jesus os abençoe,

Elisa Macedo de Faro - Portugal

quinta-feira, 29 de agosto de 2013

1º Dia Na Europa

Olá pessoal!
Depois de muito tempo sem postar e de deixar este blog bloqueado, estou aqui para contar minhas novas aventuras, filosofar, postar meus textos e poemas, além de outras peripécias que é de costume apresentar por aqui. Daqui pra frente, também entrará no ar o "Zopa Diary", que é o meu diário durante minha estadia na Europa.
Então, vamos começar?

_________________________

Túnel Petrópolis - Rio de Janeiro
Como de costume, não vou ser convencional e, portanto, não irei começar pelo início. Ontem às 18h, horário de Brasília, peguei o meu voo para Portugal. Agora estou, sentada no aeroporto de Porto, que por sinal, merece ser chamado Porto, esperando minha conexão para Lisboa.
Voar foi emocionante!
Na realidade, foi como um elevador que sobe e não para nunca de subir. O Rio de Janeiro, que por natureza divina e intervenção humana já é lindo, visto de cima parecia erradiar mais brilho do que deveria estar na realidade. Um frio na barriga e medo algum! O avião subiu.
Passagens para Portugal
Como o previsto, ao meu lado foi um velhinho. Fora do previsto, ele não era tão gordo e não era chato.
Uma das minhas primeiras dificuldades no avião foi entender o português de Portugal. Céus! Eu entendia muito melhor o inglês do que algumas  coisas que eles diziam em "protuguêis". Mas, tudo bem!
Avião da TAP Portugal
Quando as luzes se apagaram e lá em baixo tudo era um grande escuro, só ouvia o barulho das turbinas. Isso foi um pouco estressante. Fiquei um pouco irritada por não saber como ligar a TV, mas o instinto me levou a conseguir tal façanha, antes mesmo que alguns velhos de voo conseguissem.
Dona Encrenca
Amigos que me disseram que quando eu entrasse no avião a ficha iria cair, tenho que dizer-lhes: não caiu. Ela foi querer ficar na boquinha da caçapa lá pras zero hora, quando desliguei a TV e fiquei ouvindo música. Tentei dormir, porque voar é legal, mas na classe econômica, nem tanto. Como diria a Vic, "vamos dormir que amanhã chega logo!". Foi quando agarrei um negócio parecido com um travesseiro, pensei nos meus pais no aeroporto com meu irmão e chorei! Chorei rios e litros atrás de litros. Quase gritei pro piloto parar e voltar!
Chorei, chorei alto no meu coração e em silêncio para não acordar ninguém. Mas, como eu chorei. Chorei, chorei e dormi, ou essa parte, pelo menos, eu tentei.
Um pouco antes do chororô, veio a jantinha. Muito boa por sinal, só que não quis saber muito o que era não. Como diria um amigo do trabalho, eu preciso estar aberta para coisas novas. Mas, não tão novas assim. Entre um treco de nome estranho (que depois descobri que era uma espécie de arroz com purê) e pasta, claro que pedi pasta. Sabia que o sabor iria ser estranho, pelo menos o tipo da comida não precisava ser tão peculiar.

Meu pai sem fronteiras

Acho que nessa história, eu acabei comendo lesma. Se não era lesma, era algum vegetal com textura muito parecida. Enfim, se não estava ruim, resolvi comer e não pensar muito. Ai chorei, dormi, ou tentei dormir, vi o céu escuro com estrelas maravilhosas ao meu lado. Isso foi de mais!!!
Lembrei que meu pai sempre quis voar no mesmo momento em que entrei no avião. Aproveitei por ele! Experimentei as sensações para depois contar tudinho.
Enquanto meu caro amigo espanhol foi até a casa de banho (sim, isso é banheiro), eu aproveitei para abrir a janela. Ah, que desperdício voar na janela e fechar! Depois disso tudo, cochilei um pouco e acordei com uma linha laranja vertical na janela do meu vizinho da direita. Essa linha linda, parecia uma linha de fogo no horizonte escuro. Muitas sensações para pouco espaço de tempo!
No embarque
Era o sol! Lindo e perfeito a brilhar ali. Abri meus olhos que já estavam vermelhos de tanto ressecamento, o que me  custou 7 gotas de  colírio, ou mais, e apreciei a paisagem. Não demorou muito, as luzes se ascenderam e fomos tomar aquele café da manhã.
Sabe, o avião no ar é maravilhoso! Posso dizer que até prefiro um pouco de turbulência, é parecido com andar de Fiat Uno em estrada de ladrilho. Se bem que peguei um clima bem tranquilo e turbulências normais.
Na hora de descer foi a parte chata. Meu ouvido, que já se irrita com a Serra de Petrópolis, parecia que tinha um cotonete gigante apertando afim de fura-lo! Os barcos no mar pareciam sujeira na água. Ainda bem que fiquei quietinha, ia soltar um "que mar sujo esse em Portugal, én?!". #Turista
Em todos os casos, cheguei bem. Tirei muitas fotos, comi muito e descobri que as coisas aqui são baratas até no aeroporto.
Eduarda e Eu
Um fato interessante foi que no Brasil eu não vejo muitos amigos que estudaram comigo, fui encontrar a Eduarda do CTU na fila da imigração. Agora estou aproveitando a internet para deixar a postagem semi-pronta para segunda-feira, quando eu for abrir o blog.
Bom, esse é meu primeiro contato, muitas informações e linguagem informal. Não foi bem o que planejei, mas vamos ver como fica. Quem sabe me surpreenda e fique melhor do que o esperado?^^

#BomDia #GoodMorning

Nota: Ainda estou como criança quando desce do pula-pula, pisa no chão e parece que está no elástico. Meu corpo ta sentindo o avião subir e descer sentada no banco do aeroporto.

Beijos Elisa Macedo de Portugal

quarta-feira, 21 de agosto de 2013

Estou muito desmotivada para escrever, até que alguém me deu a brilhante idéia de escrever sobre ela.
Enfim, nem todo mundo entende que a distância não é motivo para não procurar alguém que se gosta. Amigos são amigos independente de distância e de tempo, de situações e de motivos. Quem gosta de alguém bate na porta mesmo.

sábado, 17 de agosto de 2013

Sou a pessoa das reações estranhas.
Quando dizem que me amam, eu dou altas risadas, quando me traem eu fico séria e não consigo chorar. Quando choram perto de mim, fico fria para tentar equilibrar a situação.
Hoje, como em tantas vezes na minha vida, tive uma surpresa com uma pessoa muito próxima. Não foi algo pra se dizer "desagradável", mas foi uma notícia que eu não esperava.
É mais ou menos aquela de um dia o cara chorar no telefone dizendo que te ama e no outro dia estar com outra? Ou num dia sua melhor amiga te chamar pra sair e no outro não falar nem oi contigo? Ou quem sabe num dia você ser você e no outro não saber quem é?
Então, foi algo mais ou menos assim.
Mais uma vez abriram um buraco debaixo dos meus pés e ficaram esperando que eu desse risos de alegria. Demorei pra digerir, mas continuarei amando essa's' pessoa's' da mesma forma. Pois, meu amor não tem condições
O que mais eu posso dizer?
Eu estou vivendo, estou sendo feliz do lado de quem me ama e ficando ao lado de quem eu amo.
Estou lutando.
Ainda não está 100% mas, eu chego lá, eu sei que eu chego. Deus está comigo...
"Vamos logo Lis, o tempo não volta, a vida é uma, vamos ser feliz!"

Nota: Uma vez uma pessoa muito especial disse pra mim que eu era mais bonita falando e sorrindo.


*Foto: Velha, mas está valendo.

sexta-feira, 2 de agosto de 2013

Eu só passei os últimos seis anos esperando que algo de diferente acontecesse. Porém, tudo tão distinto fez com que a história fosse exatamente igual. E, só parando para contar, que nos damos conta de tanto tempo que perdemos esperando chover no deserto.

quinta-feira, 1 de agosto de 2013

Se decepcionar com as pessoas não é descobrir que elas não são quem se apresentavam, mas que não são o que idealizávamos que elas fossem. (Post interrompido)
Passando para reavivar o costume, porque a estas alturas do campeonato, falar que é pra não perder o costume é até exagero, principalmente se for levar em conta a peridiocidade com que eu venho aqui.
Como sempre, são muitas coisas acontecendo, mas, desta vez, os acontecimentos têm necessitado do meu tempo e atenção. Neste momento estou na FACOM participando de um congresso, preparando-me para uma Simulação das Nações Unidas, na qual irei representar a China.
Enfim, são muitas coisas mesmo para fazer e todas elas precisam do máximo do meu tempo e atenção, principalmente as coisas de Deus. Porque, embora tendo muitas coisas pra fazer, não tenho deixado de cumprir com minhas obrigações e meus cultos voluntários a Deus, afinal de contas, foi Ele quem me deu todas estas oportunidades.

Rever fotos... Rever imagens... Sim. Não me pergunte, pois já há resposta. Deu vontade de chorar!
Deu vontade de  chorar ao sentir a temperatura, o cheiro e, como se eu estivesse naquele local novamente, com aquelas pessoas que hoje parecem mais incríveis do que eram quando um dia as conheci.
Oh sim. Deu vontade de gritar.
Deu vontade de pegar meus amigos no colo e sair rodando pelo pentágono, na quadra, no vestiário... Somos um grupo, ou fomos um grupo. Era tudo tão divido, mas tão compartilhado. O tempo voa? Não caro leitor... O tempo não perdoa. Ele passa e não para a fim de desfrutarmos um pouco mais dele e dos momentos que ele traz. Ele não avisa que aquele momento durará tão pouco e que em um dia você estará ali e no outro dia você vai acordar cinco anos mais velho! Ele vai... Vai... Só vai. Simplesmente vai.
Mas, ele fica.
O que cabe agora é aproveitar as novas aventuras, sorrir as novas alegrias, compartilhar com as novas companhias, tirar novas fotografias para que um dia, quem sabe amanhã, se tenha mais cinco anos e possa se alegrar com as recordações que hoje são presente. Presente, mas que em breve serão parte das nossas histórias que se completam a cada dia com novos cheiros, novas temperaturas e novos climas a serem contemplados, vividos, experimentados e, quem sabe, fotografados.