Translate

domingo, 15 de maio de 2011

Não desejo a ninguém

Um homem de aproximadamente 80 anos, fumando um cigarro na sacada do seu apartamento, entre a porta de vidro e o vento frio, começa a não desejar coisas para o ar.
- Não desejo a ninguém acordar no meio da noite e descobrir que se o mundo é bom, você não fez nada para contribuir, ou que se ele é mau, você não fez nada para mudar. Não desejo a ninguém criar vícios para suprir a falta das escolhas certas, quando as que se fez foram apenas erradas. Não desejo que qualquer pessoa viva sonhando, pois a realidade não é como um sonho realizado.
Não queria estar nessa sacada agora pensando estas coisas. Para falar a verdade, eu gostaria muito era de estar na minha casa (mas eu estou), em um outro tempo, com a mesma oportunidade de fazer as escolhas que fiz lá atrás.
Se eu soubesse como seria o futuro, eu teria feito diferente no passado, mas eu penso, às vezes, que lá no fundo eu realmente sabia o que me esperava.
Eu não desejo a ninguém, acordar no meio da noite e olhar para cama e encontrar outra pessoa ali, outra pessoa que não é a que está nos seus primeiros pensamentos do dia. Embora você também ame esta, eu não desejo a ninguém saber que você ama mais aquela... Aquela...
Ah aquela!!! Se eu soubesse que adolescência, fase adulta e infância são apenas uma fase... A fase da nossa vida e que esta fase nós não podemos deixar passar.
Eu não desejo a ninguém cair na real quando não restar mais tempo. Não desejo.
Afinal, eu tenho de tudo, tenho dinheiro, tenho uma casa, uma família, um cachorro, mas no fim nenhum deles me têm. Era para ser o contrário... Ainda que eu não tivesse nada e olhasse para o amor eu me sentisse dono do mundo, mas hoje eu tenho de tudo e sinto que não sou dono de nada.
Vivo de aparências e colhendo a consequência das minhas escolhas erradas.
No fim das contas eu não desejo tudo, eu só me dei conta de que de tudo que construí, hoje eu não tenho nada. Sou vítima do meu próprio orgulho e das minhas decisões mesquinhas...
Afinal, para resumir, o que eu não desejo a ninguém é uma vida igual a minha.

2:00h da manhã o despertador toca e um jovem de 25 anos acorda ofegante, com um gosto conhecido de muito tempo de nicotina na boca, cheira suas mãos e elas tem um odor de fumaça... Olha para a sacada e vê a porta aberta deixando a cortina dançando do lado de dentro do quarto. Assustado, ele começa a entender. Olhando para o lado ele vê um volume feminino em sua cama deitado de bruços, os cabelos encobrem o que seria visível da face... Assustado e se sentindo um velho de 80 anos ele começa a se recordar, quando de repente ele se dá conta que tem uma casa, um carro, uma família, um cachorro e...
De repente a jovem deitada se vira e deseja:
- Vai com Deus amor.
E aliviado por saber que fez as escolhas certas ontem e hoje, ele se levanta, arruma-se e viaja para apresentar no exterior o seu trabalho recente. No coração ele sabe que terá alguém para voltar e que é e, será sempre feliz. 
Ele é um jovem que entendeu que suas escolhas importam. E, eu, naquela noite, quando ouvi aquele velho  me dizer o que não desejava a ninguém pensei "que bom que tenho apenas que soprar pela vida dos seres humanos."
Fiquei feliz em saber que é possível ter tudo: Uma casa, um carro, uma família, um cachorro e quem se ama para sempre ao seu lado. Confesso, naquele momento eu quis ser um ser humano e conseguir fazer as escolhas certas.
E, hoje, como um mero ar que passa, só não desejo a ninguém que lamente a vida que tem, mas que faça o melhor que se pode hoje... Não importa se em sua mente, ou em seu corpo você é um velho de 80 anos, enquanto eu passar pelos seus pulmões tudo pode mudar.


* Foto de outro blog.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Leu a postagem? Então não deixe de comentar. Abraços e que Jesus os abençoe, Elisa Macedo.