Translate

quinta-feira, 10 de fevereiro de 2011

Primeiro primeiro dia de aula

Para muitas crianças essa semana significou o a semana do começo do resto de suas vidas.
Ai você me pergunta: "Como assim?" e eu te respondo...
Simples, todos os anos milhares de criancinhas que não sabem nada sobre a vida terão que começar, ainda que aos poucos a aprender que não pedir para fazer xixi na hora que sente vontade pode representar mais do que uma roupa íntima molhada e algumas gotas de urina no chão. Você pode carregar o titulo de "mijão" pelo resto de sua vida!
Assim também funciona na nossa realidade "adulta". Até mesmo aquilo que pensamos não ter importância alguma na realidade terá e para sempre. Mas... Voltando as criancinhas...
Minha mãe estava a semana inteira empolgada porque a vaga da minha sobrinha saiu e eu tinha esquecido de avisar, então, quando a notícia chegou aqui em casa literalmente bombou e, pelo meu esquecimento, quase bombou para o meu lado. Acontece que a Jeniffer é muito inteligente, minha mãe diz que ela é muito parecida comigo quando era criança, principalmente em relação a empolgação com a escola.
Diversas histórias da pequena Jhenjhen a parte (inclusive a tirada que ela deu na irmã dela falando que ia pra escola estudar e não brincar - ps: ela tem 4 anos), quando eu fui levar ela na escola junto com a mãe e a vómãe dela, eu fiquei pensando: "Cara, eu realmente não posso ter filhos!"
Tinha um garotinho, o Kauã, ele não queria entrar e agarrou no cantinho do ferro do portão da escola - que apropósito foi a mesma que eu passei metade da minha vida acadêmica até agora - e falou baixinho, sem escândalos e com os olhos cheios de água igual ao gatinho do Sherek "Poai, eu quero que você fica aqui comiiigo",  com aquela voz cheia de choro e "O's" bem infantis. Ali eu percebi, que se fosse eu na situação do pai dele iria pegá-lo e falar "Vem filhinho, vamos pro shopping, vamos sair dessa espelunca", ainda que a escola fosse A escola, acho que seria mais pelo fato de ver o filho com aquele olhar que me faria ter essa atitude. - Ps, se algum dia eu tiver um filho, porque eu quero adotar, e ele falar que não vai na aula e sim no shopping eu bato, principalmente se usar essa postagem como desculpa.
Acho que em alguns momentos é assim que Deus fica, com vontade de fazer o que nós queremos, mas Ele sabe que para o nosso futuro o melhor é ficar na escola. E até que o durante não é tão ruim...
É isso ai gente,
Abraços,
Seyal Layes

*Foto de outro blog - em breve posto a foto da minha sobrinha.

Nota: É estranho ver minha sobrinha fazendo o que eu já fiz, sei lá... aquela sensassão de "isso é meu". Acho que hoje não tenho mais ciumes da minha mãe com ela, primeiro porque já consigo admitir que eu tinha e segundo porque parece que minha mãe só ama ela assim porque precisa de alguém para substituir a falta que eu faço a ela, mas ainda assim a Jeniffer não consegue. Também te amo mãe e você é insubstituível!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Leu a postagem? Então não deixe de comentar. Abraços e que Jesus os abençoe, Elisa Macedo.