Translate

quinta-feira, 27 de janeiro de 2011

Bom, hoje o meu primo 'S'alin me disse algo que eu fiquei comovida, não a ponto de sair falando, mas eu senti a pureza da criança.
Eu convivo muito com eles e estou ficando mais na casa deles esses tempos. Ontem (ou anteontem) quando eles vieram aqui em casa estavamos vendo uns vídeos engraçados no youtube e achamos um que o avacalharam um carinha colocando o rosto dele num cachorrinho, uma montagem até que bem feita. Só que hoje na hora que eu estava na casa dele, ele falou comigo assim "sabe aquele vídeo que a gente viu do cachorrinho com cara de um garoto? Então, ele parece com o (não pronunciarei o nome), eu ia falar, mas porque eu sei que quando fala dele você fica triste, então eu não falei nada."
Poxa, eu passei por cima disso e continuei conversando normal, mas depois eu fiquei pensando "ele é uma criança e se importa comigo, tá certo que hoje isso não faz a menor diferença para mim, mas ele pensou que poderia ainda fazer e não queria me magoar". Era como se pra ele a frase "perco o amigo mas não perco a piada" não estivesse funcionando e eu fiquei feliz por saber disso.
Na época mais tensa da história eu pedi para todos nem citarem o nome, não pelos motivos de hoje que são puramente de direitos autorais e de preservação da imagem de uma pessoa, mas porque eu realmente não queria nem saber. Não pelos motivos que todos estavam pensando que eram, mas sabe... eu tinha meus motivos, no entanto, ainda assim ninguém respeitava. Era uma brecha todo mundo falava algo só para me ver perder o foco e parecia que queriam mostrar assim "Viu eu falei", ou então "Eu sabia que nao ia dar certo", pior "Ela não gosta que fala, mas tava na cara" e, eram adultos poxa, família e amigos, agora ele... o meu Charlinho de apenas 10 anos, depois de tanto tempo ainda se lembra do que me fez sofrer e não quer nem saber se ainda faz, ou se não faz, é como se ele dissesse pra mim com essas atitudes "não quero nem saber o que ela sente hoje, mas se isso fez mal pra ela, não quero saber, não vou falar só pra ver ela feliz". (Quase choro na alma).
Isso é lindo... Sinceramente. Repito, são poucas coisinhas na vida que fazem de mim uma pessoa mais feliz.
Eu amo você Charlles, do fundo do meu coração.

*Foto: Marmotas by Victória, Me, Charlles

Ps: Esse "do fundo do meu coração" é banal pra gente que mora no Brasil, mas sabe, acabei de analizar... Para os outros ele deve soar aos ouvidos como o "com todas as minhas forças" das novelas mexicanas soam aos nossos... Bem dramático e meio que bizarrinho! :P
Marllon eu também te amo ta? Só que não achei uma foto com nós três por aqui. :S Se eu tivesse achado não teria colocado essa marmota, mas é bom... Afinal, somos pessoas normais.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Leu a postagem? Então não deixe de comentar. Abraços e que Jesus os abençoe, Elisa Macedo.