Translate

segunda-feira, 29 de novembro de 2010

Estava revirando minhas folhas pra encontrar meus materiais do vestibular (acreditem, estou estudando de novo pro vestibular, mas isso é outra história não muito importante... ainda) quando encontrei meus poemas.
Realmente eu mando bem. Não é soberba, nem orgulho. Feio seria falsa modéstia, mas realmente quando eu leio os poemas, principalmente depois de muito tempo eu fico me perguntando "Nossa, foi eu mesma quem fez?" e sim... Foi eu.
O que me deixou um pouco encabulada, foi o fato de encontrar poemas feitos em forma de cartas que eram para entregar pessoas que não entreguei. Hoje eu não penso "Ah se eu tivesse entregado seria tudo diferente", penso "Que bom que não entreguei, livrou-me de mais um peso da humilhação de mostrar meus sentimentos a pessoa errada."
Pensei sinceramente em rasgar, irei fazer, claro, mas depois que digitar pelo menos a parte que interessa.
Vendo isso eu percebi como as coisas perdem o valor com o passar do tempo, como se nem tivessem tido algum valor um dia. Isso as vezes me deixa triste, não o fato de não sofrer- isso é ótimo! - mas a questão de tudo ser tão efêmero a ponto não sentirmos falta em pouco espaço de tempo.
Fico com medo de no final das contas ser assim mesmo. As coisas só terem importância enquanto damos importância a elas. Eu acredito que tem coisas na nossa vida que irão ter importância ainda que não venhamos dar a devida que ela merece... porém, vendo papéis rabiscados eu fico um pouco 'frust' pelo fato de que, então, em minha vida, poucas foram as coisas que entraram e realmente merecia importância.
Percebo que perdi muito tempo valorizando coisas sem valor e não com valor inestimável igual eu pensava. Às vezes eu não conseguia 'valorar' as coisas, mas hoje vejo que não é porque o valor era grande e sim porque era nenhum.
Estou feliz por estar sendo mais seletiva, só que ainda corro riscos de errar, afinal, ainda vivo nessa terra... Ainda...
Só não quero ser mais "uma galinha de domingo" (Claricie Lispector) e no final das contas ter outras galinhas a cacarejar e eu ser apenas um rastro na terra, ou nem isso... afinal quantas outras já passaram por aqui e não se tem nem memória? Não quero ser para as pessoas o que muitas pessoas foram para mim: NADA! ou pior (não sei o que é pior entre os dois) ter sido algo ruim para elas.
Enquanto se vive ainda há chances de mudar, de ter valor e de ser valorizado.
Às vezes nos frustramos procurando que algumas pessoas no  valorize, mas nos enganamos, não porque não temos valor, mas porque damos a pessoas que não tem nenhum bom senso o direito de nos 'valorar'.
Hoje comparo a vida, os sentimentos, as pessoas a uma grande loja de um dono difícil: Quem tem o dinheiro para pagar o valor de tal mercadoria, leva... quem não tem, não leva. Não desça o seu valor por ninguém, quem realmente quer te "comprar" trabalha mais para pagar o quanto você vale. É preferível passar a vida sozinho do que pessimamente acompanhado. Muitas vezes não ter nada é o melhor que você pode ter... É melhor não ter nada do que uma pilha de problemas.
Não estou dizendo para serem conformistas, apenas para analisarem as pessoas que estão ao seu redor. Não espere nunca que as pessoas mudem, mude-se a si mesmo a forma de pensar. Quem te ama faz tudo por você, assim como você faria se amasse também.

*Foto de outro site

Nota do dia: Deixem que as pessoas pobres encontrem pessoas baratas que aceitem as micharias que elas tem a pagar por essas, não desça seu valor, seja a maçã do alto... Ainda que ela fique lá no topo da árvore para sempre, pelo menos não terá sido colhida por um qualquer que não fez esforço nenhum para alcançar a melhor fruta. ;) Guarde isso.  - Tami amo você! (Deus colocou na minha vida uma pessoa muito especial e ainda que ela não tivesse nada a me oferecer eu a amaria do mesmo jeito, pois sei que se ela tivesse nessa situação, traria nos olhos a vontade de doar até mesmo aquilo que não tem por amor - amizade)

Frases do dia:
 "Nada mais natural para quem ama do que doar, nem que seja doar a si mesmo." Pastor Eliseu Peroni
"Conceito de amor ficou tão fútil... Banalizado!" By me


'Valorar': Dizer o quanto vale alg; Dar valor; Dizer o quanto vale. (Significado nesse contexto)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Leu a postagem? Então não deixe de comentar. Abraços e que Jesus os abençoe, Elisa Macedo.