Translate

quarta-feira, 2 de junho de 2010

Faz frio




Quando queremos estar aquecidos, mas não podemos, devido ao fato de nossas atitudes não dependerem somente das nossas e de nossas vontades, mas estar ligada aos desejos e atitudes alheias. E ficamos presos por um fio tênue e sem saber para que lado correr, ou em que cobertor se esconder.
Venta muito, quando a vida vai sendo arrastada, não temos como parar o fluxo ou segurar o tempo.
É igual quando descobrimos que alguém não mais nos ama, não tem como obrigá-la a continuar a nos amar, mesmo que venhamos pegar o mundo nas mãos e oferecê-la que de nada vai adiantar.
Tem coisas que fogem do nosso controle.
Para falar a verdade, hoje eu acabei descobrindo que somos nada e isso foi sem querer.
Muitas vezes perdemos o controle de nossas próprias emoções, que geralmente são explosivas, compulsivas, massivas e massacrantes, mas não tem como parar.
Auto controle é uma palavra de ordem, mas vai dizer isso para quem está vendo a felicidade sair de casa, fechar a porta e jogar a chave para dentro pela janela...
É doloroso de mais.
Descobri que a dor é dor e não precisa de chuva para fazer doer, podemos estar em um dia de sol que se em nós existir uma nébula, podemos estar queimando, mas nosso coração estará congelado e fazendo frio, a você e a quem está ao seu redor.
As pessoas correm da tristeza, poucos são os que se achegam para ajudar e hoje eu sei bem porque, um dos motivos é porque a tristeza amargura e afasta quem amamos.
Podemos morrer de amores, mas se não conseguimos demonstrar nada basta.
Posso ter em minha boca um vulcão prestes a entrar em erupção de tanta sede de doar amor, mas não sei amar a distância, tudo que faço é negativo, é brigar, é ter ódio. É descobrir que a cada dia tenho menos motivos para querer e menos chances de poder ter e o que penso em fazer é algo que eu nunca soube: conformar-me.
Eu não preciso de motivos para odiar ninguém, eu só sei que fico pensando com o cérebro alheio, mas creio que sou tão complexa que não conseguem pensar com o meu e ai vem os conflitos de personalidade.
Eu queria ser acordada com uma boa surpresa, ser convidada para sair, para viajar, eu queria desfrutar do que consquistei... eu amo a vida e é de verdade!
Mas quando não depende só de nós é tão difícil.
Hoje eu entendo determinadas pessoas que passaram na minha vida.
Embora carregassem o sol no peito, mas não depender somente delas demonstrar esse sol, fazia com que nos olhos eu viesse a ver somente o frio.

Nota do dia: Faz frio aqui.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Leu a postagem? Então não deixe de comentar. Abraços e que Jesus os abençoe, Elisa Macedo.