Translate

quarta-feira, 17 de junho de 2009

Complemento da postagem anterior


acho que estou conseguindo cumprir o que disse na postagem anterior
eu sabia que estava faltando algo e hoje minha amiga Alice me deu o exemplo perfeito para expressá-lo.



the wonderful world of Alice

Aprender a viver e a conviver para sobreviver.
Ela é uma doce pessoa, ótima amiga, mas vive num mundinho só dela, feito por ela e para ela. Ela não entende que precisa aprender certas coisas na vida mesmo não gostando. não para se enquadrar, mas para sobreviver a essa selva. afinal isso aqui nada mais é do que a lei da sobrevivência.
pra ela só tem 3 saídas
ou sobrevive na cagada
ou aprende na pancada
ou morre sendo por ela mesma enganada e esmagada.

imagina uma criança ter nojo de usar fraldas?
São coisas das quais nós muitas vezes não nos perguntamos (atitude filosófica) até mesmo pela falta de necessidade, mas é um bom exemplo. é nojento imaginar um ser humano andando por ai com seus excrementos guardados, mas infelizmente é esse o lugar inicial que ele precisar ir. o nanem não pode virar pra mãe com 3 meses e começar a gritar "tira isso de mim, tira"!
ele simplesmente se adequa a condição (mesmo involuntariamente) para sobreviver. Quando ele cria artifícios para não mais aceitar essa repugnante situação ele aprende a ir no banheiro e a se limpar, não tendo mais que depender de ninguém para tirar sua "fraldinha" somente quando desse na telha! caso contrario teríamos uma rebelião de bebes!

Podemos até mudar o que achamos errado, mas para isso temos que encontrar meios de como estabelecer essa mudança.

PS: o papo começou comigo me sentindo um pontinho roxo na floresta verde. todo mundo que a floresta é verde mas não consegue deixar de perceber aquele mínimo ponto ali no meio. o caso não é que eu sou a santa, mas digamos que tem muitas pessoas que convivo fazendo coisa errada e eu não, como eu sou a única a não fazer, isso faz parecer que a errada sou eu. não que o mundo seja mal e só eu a boazinha.
já q estamos usando exemplos veja esse.

Tem um clube de ladrão e uma pessoa no clube que não rouba, a que não rouba está certa, mas por naquele meio o certo ser roubar e ela ser o único a não atuar nessa área infame ela é a que é visto como o errado!
sacaram?
vlw;)

Espero não ter confundido a cabeça de vocês e por favor, não tentem juntar os exemplos aos casos, foram meros exemplos didáticos.

Fotenha do google.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Leu a postagem? Então não deixe de comentar. Abraços e que Jesus os abençoe, Elisa Macedo.