Translate

sexta-feira, 22 de maio de 2009

Crise urbana na sociedade medieval


Medieval? Sim. Você não entendeu errado. Eu não estou ficando doida não, você antes de terminar de ler esse texto vai me dar razão em algo, não precisa ser em tudo, não precisa ser em nada, você vai me dar razão até mesmo quando achar que não deu razão a nada, por que eu já estou esperando isso. Desse sub mundo em que vivo... Não espero mais nada de ninguém. A não ser que as pessoas se doem mais. Ou seja, espero algo. ¬¬

Depois de uma tarde supermaneira, cujo detalhes algum dia se der eu explicito, eu fui roubada!

Isso mesmo!

Mas isso não é nenhuma novidade para quem vive numa sociedade capitalista e desigual, nessa carneficina brasileira onde vive quem comeu e morre quem nem sempre foi comido. (Resumindo,, tem boca de mais nesse negócio).

O caso é que foi em menos de um mês que esse fato me ocorreu. Celulares? Adeus!

Todas as vezes fui roubada por trombadinhas. Creio que dessa vez também foi roubo pelo fato de que a bolsa estava fechada, mas nao o suficiente para o ladrão deduzir que lá estava minha mesada e meu lindo celular.

Minha carteira apareceu no chão, se ela tivesse só caído no tumultuuu do ônibus, a Jéh nao teria me devolvido ela sem minhas notas.

E obrigada Jéh por você estar lá, pro que se não eu tinha morrido dentro do ônibus mesmo! Estava em desespero, não sabia como contar para meu pai que em menos de um mês eu perdi 1? NÃO! 2 Celares.

Culpei todo mundo, inclusive a mim por ser uma burra e idiota, songa e lontra, por andar com mochila pra tráz nessa cidade de bandidos furtões! Embora não seja todos, essa minoria me amedronta e pior que isso: ROUBA-ME!

Tenho de admitir que tenho um grande defeito, sou muito apegada a bens materiais, que sou capitalista, que gosto de acumular capitais, mas não sou egoista!

Estou em estado de dor de cabeça e indignaçao com o senhor prefeito, senhor presidente, e senhor governador não necessáriamente nessa respectiva ordem, mas o caso é que se esse vale de podridão corruptiva chamado nação brasileira fosse um local melhor administrado, com melhores distribuiçoes de renda, sem fome e menos maconha, com certeza o número de "mini-crimes" seriam reduzidos de macros a micros também!

O caso é que o que é um pequeno furto para a polícia para mim foi um grande roubo!

Descobri qeu coisas que agetne luta tanto para conseguir, passa as vezes anos almejando, lutando e persisitndo para ter, e quando temos... alguém com a mão muito sinistramente nervosa, envolvido por uma preciptação nervosa compulsiva furtiva, vai lá e toma de quem lutou anos para conseguir, fazendo tal coisa em menos de 15 segundos!

A vida é o agora mesmo!

Pois eu economizei, guardei dinheiro para comprar algumas coisinhas e olha só?! Fui roubada!

Provavelmente meu celular e o dinheiro vai virar um maço de mistral, dois cigarrinhos de maconha e cinco gramas de cocaína na melhor das hipóteses para o ladão.

Por por mim que a maconha estivesse estragada e que desse dor de barriga!

Não desejo mau aos outros, nem aos que me fazem mau. Mas eu estou muito triste, o dinheiro do meu pai não é capim, e embora ele sempre diga que vai comparar para mim um burro que defeca dinheiro, até hoje ele não promoveu tal evento no meu domicílio.

Estou profundamente orgerizada com essa sociedade, asgo é o que sinto!

Não há palavras chiques ou chulas que possam expressar todo o horror que estou sentindo por toda essa fedentina que se passa no planeta, com esse descaso, com essa falta de segurança e com o pior de tudo: A FALTA DE CARÁTER!

Adeus humanidade, estamos caminhando agora para a quina da beira do absmo que nós mesmos cavamos, agora vamos cair e cair, cair e cair e cada vez mais cair, e de tanto permanecer na inérica desses fatos, não perceberemos a queda e acharemos em breve tudo isso muito normal, e no findar d tudo, estaremos achando que o fundo do poço é a estabilidade, e estaremos roubando de nós mesmos para sustentar nossos vícios e devacidões!

Nunca tive profundos amores pela raça a qual pertenço, não digo etnia ( branco, negro, amarelo), refiro-me a raça, da qual todos que podem ler e entender esse texto, mesmo que analfabetos funcionais ou não, todos que possam ouvir falar ou ter o minímo de compreensão de que isso não é desabafo e nem palavras ao vento, menos ainda previsão. Digo isso a raçaHUMANA, da qual meus afetos como disse não são dos maiores e cada dia eu me envergonho mais e mais a pertencer a tal.

Só estou analizando os fatos, e não se preocupem, quando tudo parecer o fundo do poço, não fiques triste, sempre terá um idiota para tampar a pazinha e dizer: CAVA MAIS UM POUCO!

Só para finalizar, frase minha:"Quando tudo parece estar ruim pode piorar, mas quando tudo está bom sempre tem um idiota para estragar!"

Lis Masil

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Leu a postagem? Então não deixe de comentar. Abraços e que Jesus os abençoe, Elisa Macedo.